Carne brasileira continuará valorizada em 2020

Cenário externo indica um aumento de 14% no volume de carne bovina exportada
Publicado em: 27 de Dezembro de 2019

Carne brasileira...

A carne brasileira termina o ano valorizada tanto no mercado interno como externo. De acordo com o relatório com perspectivas para a pecuária brasileira no ano de 2020, divulgado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o cenário externo indica um aumento de 14% no volume de carne bovina exportada, podendo atingir mais de 2,7 milhões de toneladas equivalente à carcaça.

Já as exportações brasileiras de carne suína devem apresentar um incremento de 20%, uma vez que o Brasil é o único país que apresenta potencial aumento de produtividade no curto e médio prazo.

A China, grande consumidora da carne brasileira, deve aumentar as importações de carne de frango brasileira em 20%, refletindo em um aumento de 5% das exportações globais do Brasil.

O valor da arroba bovina deve seguir em alta. O aumento atual é justificado pelo aquecimento das exportações e pela projeção de aumento do consumo per capita de 1,7%, associado a uma oferta restrita de gado para abate.
O preço da carne de frango ao consumidor tende a aumentar em torno de 5% por causa da oferta ajustada e da demanda crescente do produto.

As perspectivas para o mercado de ovos comerciais para 2020 apontam para a cautela dos produtores, que ainda estão em busca de recomposição das margens, após dois anos de crise devido à superprodução em 2017/2018 e das margens negativas na maior parte de 2019.

No mercado nacional de lácteos, a expectativa é de incremento no consumo em 1%. Contudo, um possível aumento dos custos de produção, graças à menor disponibilidade interna de milho e soja – maior demanda mundial por esses insumos –, e uma provável redução no número de vacas ordenhadas, devido ao aumento do descarte de animais tendo em vista a atratividade do preço da arroba, e um cenário de preços pagos ao produtor mais instáveis ao longo do ano, limitariam o crescimento da produção.


Fonte: ROLNEWS
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade