Tribuna Livre
Tribuna Livre

Coluna

Quaresma: Tempo do Jejum do Mal e do Ódio

Tribuna Livre 07/04/2017
Publicado em: 07 de Abril de 2017

Passado o Carnaval, os cristãos se preparam para a Páscoa, vivendo os quarenta dias da Quaresma, iniciado na Quarta-Feira de Cinzas, dia 01/03/2017. Tempo de oração, jejum penitência e caridade. À luz da fé, um tempo de regeneração, de purificação, de conversão.
Hoje, há muitas formas de viver a Quaresma, como forma de melhor viver os princípios e valores cristãos, numa sociedade cada vez mais paganizada, secularista, de indiferentismo.
Primeiramente, entendendo o sentido do jejum como deixar o que é desnecessário, o supérfluo, tendo em vista, por exemplo, a cultura atual fortemente individualista e consumista. Evitar, portanto, o excesso, praticando o que os antigos chamavam de temperança, a moderação. Em muitas das nossas atividades do cotidiano podemos exercitar a temperança, seja no falar, no julgar os outros, nas queixas, no hiperativismo, etc. É preciso equilibrar o que fazemos, agindo com bons sentimentos, justiça e solidariedade.
Também o tempo da quaresma nos leva a intensificar nossa disposição interior de fazer o bem ao próximo, ao que está perto de nós, sendo mais paciente, mais compassivo, mais solidário, especialmente com nossa família, com os mais fragilizados, os idosos e doentes, com as crianças e os jovens. Todos requerem de nós uma atenção especial, com a expectativa de que possamos compreender as suas limitações e dificuldades, oferecendo sugestões de aprimoramento pessoal, e ainda companhia e afeto, interesse pelos seus problemas e também a virtude do bom conselho, quando se faz necessário.
E também uma outra forma de jejuar é melhor aproveitar o nosso tempo, que muitas vezes está sendo dispersado nas redes sociais, mais preocupado com a vida dos outros, com fofocas, ou compartilhando notícias nem sempre verdadeiras, deixando de divulgar coisas boas, para endossar fatos negativos e extremismos que acentuam a cultura do ódio.
A Quaresma é um bom tempo para evitar tais excessos. Por isso, o bom uso da internet, nos dias de hoje, é um exercício do dom do discernimento, fazendo disso uma ótima forma de jejuar, nos tornando pessoas integralmente mais saudáveis e melhores como seres humanos e cristãos.
 
* Valmor Bolan é Doutor em Sociologia. Especialista em Gestão Universitária pelo IGLU (Instituto de Gestão e Liderança Interamericano) da OUI (Organização Universitária Interamericana) com sede em Montreal, Canadá. Representa o Ensino Superior Particular na Comissão Nacional de Acompanhamento e Controle Social do Programa Universidade para Todos do MEC


Fonte: Valmor bolan
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Tribuna Livre