Daniel Paixão
Daniel Paixão

Coluna

Papudiskina

O DESTAQUE EM FAVOR DOS PROFESSORES ERA JUSTO... - Papudskina - 12 de julho de 2019

Papudskina - 12 de julho de 2019
Publicado em: 12 de Julho de 2019

APROVADA A REFORMA DA PRESIDÊNCIA, COM LARGA MARGEM DE VOTOS

A Reforma da Previdência passou fácil em primeiro turno na Câmara dos Deputados. 

O texto base foi aprovado por 379 votos a 131. Eram necessários pelo menos 308 votos (3/5 dos deputados) para aprovação. Não dá para dizer que foi um momento histórico para o Brasil, que seja algo para comemorar. Mas infelizmente ela era necessária em razão de os últimos governos, notadamente os do PT, terem mergulhado o país na irresponsabilidade fiscal. Além das isenções fiscais generosas, que tiraram dinheiro do caixa, o governo petista, no afã de praticar o populismo, despejou dinheiro em programas sociais generosos e liberou créditos, muitos dos quais não foram pagos, porque os tomadores não tiveram condições de pagar. Enfim, o populismo levou a nação a enfrentar graves problemas de natureza fiscal. Além disso, a população brasileira está envelhecendo, tendo menos trabalhadoras na ativa para sustentarem aqueles que vão se aposentando por idade. Enfim, a soma de todos os fatores tornou imperiosa a aprovação da reforma da previdência.

Não há muito, porém, o que comemorar. Pelas novas regras, muita gente vai receber pouco mais do que 50% do que recebe na ativa quando se aposentar, até porque, milhões de brasileiros trabalham em empregas que não assinam a carteira ou quando assinam não recolhem para o INSS. Há muitos trabalhadores nessa situação. Tem ainda os que trabalham parte do tempo em subemprego, como autônomos e não contribuem nesse hiato de tempo. Por isso mesmo, pelas novas regras, muitos trabalhadores só vão conseguir se aposentar aos 70 anos ou mais e assim sem conseguirem atingir os critérios necessários para ter a aposentadoria integral.

O DESTAQUE EM FAVOR DOS PROFESSORES ERA JUSTO, MAS FOI REJEITADO POR CONTA DA FALA ODIOSA DA TALÍRIA PETRONE, JANDIRA FEGALI E GLEISI HOFFMAN, ETC

Eu estava torcendo que o destaque em favor dos professores fosse aprovado, mas aí vem o PT e o PSOL, com insolência, e estragam tudo. Se PT, PCdoB  e PSOL soubessem jogar o jogo democrático, poderiam ter  convencido outros parlamentares, já que muita gente do Centrão e até da Direita queria aprovar esse Destaque. Deputados do Centrão e da Direita, ao verem o trio da esquerda radical destilarem seu ódio, mesmo quando pretendiam votar a favor dos professores, decidiram rejeitar o destaque. 
O que percebemos é que a esquerda brasileira se afunda a cada dia mais por não saber jogar o jogo democrático. PT, PCdoB e PSOL são sempre odiosos, usam o fígado, não sabem trabalhar de forma propositiva. Para eles ou é 8 ou 80. São incapazes de negociar politicamente, mesmo quando haveria espaço para diálogo. Vão se afundar cada vez mais e as próximas eleições já acontecem no ano que vem. Já estou até vendo o barco da esquerda afundar ainda mais por absoluta falta de saber jogar o jogo democrático. Insistem na cantilena do Golpe, do Lula preso político, etc. Isso não convence mais o eleitor brasileiro. Insistir em narrativas que não tem acolhimento entre os eleitores é suicídio... Mas se querem insistir no jogo odioso, na forma acintosa de desrespeitar os colegas que pensam diferente, vão definhar ainda mais.

O PSOL já é um partido nanico, com algum protagonismo apenas no Rio de Janeiro. Já o PT vai se “desmilinguir”. O povo cansou de tanto ódio que sai dos lábios de petistas e esquerdistas. O povo quer política propositiva, onde os debates sejam mais civilizados e menos rancorosos. O PT, PCdoB e PSOL, contudo, não sabem fazer outra coisa a não ser destilar veneno e escumar o canto da boca. 
Esse trio, em minha opinião, perdeu uma grande chance com essa Reforma. Em vez de se colocar totalmente contra, deveria ter negociado conquistas para a classe trabalhadora. Insistir ser totalmente contra é um absurdo. A reforma, embora amarga, era necessária. O PT a faria se estivesse no poder. Mas fora do Poder, decidiu o caminho da contradição. Achou que iria encontrar eco na sociedade brasileiro. Não encontrou respaldo. O PT precisa entender que vivemos novos tempos. Esse jogo odioso já não consegue mobilizar militância, pois em tempos de redes sociais, até os engajados sentem-se envergonhados em defender partidos que fogem do marco civilizatório.

MINISTRO TERRIVELMENTE EVANGÉLICO ESTÁ DANDO O QUE FALAR.....

Foi e ainda está sendo muito comentada, desde quarta-feira, a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que, por ter direito a indicar dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), pelo menos um deles será “terrivelmente evangélico".
Segundo o presidente, "muitos tentam nos deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares [Alves, ministra]: Nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes. Por isso, o meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal [STF]. Um deles será terrivelmente evangélico".


A maior parte das críticas vem especialmente dos que são do espectro mais à esquerda da política, especialmente os políticos do PSOL, PCdoB e PT (muitos de seus membros declaradamente ateus). Não me parece razoável as críticas contra o presidente. Sim, o estado é laico, mas não me parece correto que sejam nomeados para as cortes de justiça apenas pessoas que se autodenominam como atéias. O Estado é laico, mas os cidadãos, em sua grande maioria, tem religião. Então, pode-se escolher membros que tenham religião e também notório saber jurídico. Talvez o erro de Bolsonaro seja essas afirmações bombásticas como “Terrivelmente evangélico”. Não precisaria essa figura de linguagem. Ele também se sairia melhor se em vez de falar, esperasse o tempo de nomear alguém, e escolher um evangélico sem muito alarde.



Fonte: Daniel Oliveira Paixão
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Daniel Paixão