Daniel Paixão
Daniel Paixão

Coluna

Papudiskina

AS MANIFESTAÇÕES DA ULTIMA QUARTA FEIRA - POR DANIEL O. PAIXÃO - COLUNA Papudiskina

Papudiskina 17 de maio de 2019
Publicado em: 17 de Maio de 2019

AS MANIFESTAÇÕES DA ÚLTIMA QUARTA FEIRA - Na quarta-feira, em todo o país, um grupo de estudantes e alguns professores foram às ruas para protestar contra o contingenciamento de recursos da educação. A Globo e outros grandes veículos de comunicação, insatisfeitos com o fato de o atual governo ter cortado verba publicitária, se deliciou com o feito em seus telejornais. Fez questão inclusive de maximizar o feito. Muitos militantes de esquerda, especialmente aqueles mais enganados, também foram às redes sociais celebrar essas manifestações contra o governo.
Só que, embora respeitemos a opinião dos que apóiam essa manifestação de um grupo de estudantes alinhados com a esquerda, uma pergunta merece ser feita. Onde estavam esses mesmos estudantes que não se mobilizaram com o mesmo ímpeto  os governos do PT, tal qual o governo atual, fazia os contingenciamentos para poder conseguir equilibrar o orçamento à disponibilidade financeira?
Também fui militante de partido de esquerda por cerca de 20 anos. Também votei no Lula e Dilma até poder enxergar melhor os fatos. Eu não tenho político de estimação. Faço minhas observações de acordo com o desenrolar dos fatos. Hoje não voto mais no Lula e nem no PT. Reconheço que algumas coisas importantes foram feitas no governo do PT, mas todo o legado está se desfazendo como o desenrolar de um velo de lã.
O país enfrenta uma das piores crises da história. Mas todas essas mazelas são decorrentes de anos de irresponsabilidade fiscal não só dos governos do PT, mas também dos que os antecederam. Agora precisamos de vários tipos de reformas para evitar que o país seja engolido pelo buraco negro da recessão e dívida pública trilionária. Apesar de eu estar no time dos que entenda que uma reforma da previdência seja necessária, dói saber que ela vai afetar apenas os mais pobres,  aflitos com os efeitos da crise. Temos que entender, contudo, que Bolsonaro está só há quatro meses tentando conduzir esse navio à deriva chamado Brasil.
Temos que torcer que o governo dele dê certo. Eu quero que ele acerte, apesar de ele não controlar a língua. Espero que ele ao menos deixe sua equipe trabalhar. Ele falando, só dá munição para os inconformados com sua eleição e que querem a todo custo vê-lo destruído. Eu ainda tenho fé no Brasil, apesar de tudo. Se na pior das hipóteses o país não ficar pior do que já está, será uma vitória. Afinal de contas, com o PT seguíamos passos acelerados para nos tornarmos um clone da Venezuela.
A verdade é que eu, como eleitor do Bolsonaro, não tenho o dom da visão, mas ao votar, fiz a opção pelo menor risco. Sob o governo do PT, vivíamos o fantasma da recessão. O legado do PT foi não ter um controle fiscal. Agora eu vejo até que, apesar de muitos erros, o governo atual tenta acertar, mas sofre a chantagem de um Congresso acostumado a se dar bem sob governos corruptos. Quando eu digo o atual governo, esqueçam o Bolsonaro. Ele é o presidente, mas em um regime de coalizão como o nosso, a governança vai sempre depender de sua equipe se esta puder contar pelo menos com algum bom aceno por parte dos congressistas. Eu votei no Bolsonaro por ele ser o único - naquele momento - capaz de fazer o Brasil ter um choque de realidade e sair dessa inércia que havia se transformado o governo do PT. Eu não acho que, sob o Bolsonaro, iremos viver no mundo maravilhoso do Bob. Só que tenho consciência de que não dava para cruzar os braços e deixar o PT afundar ainda mais o Brasil. Os governos do PT foram excelentes para as republiquetas "pseudo-socialistas" da América Latina. O que esperar de um país se ele fosse governado por um partido que se preocupa mais em se solidarizar com os regimes decadentes de Cuba e Venezuela do que com os destinos da nação? Observe hoje o comportamento dos políticos do PT. Eles não sabem fazer uma oposição responsável. Pelo contrário, querem sufocar o atual governo a ponto de ele não conseguir vencer os obstáculos criados durante a era Lula/Dilma.
Infelizmente, a tremenda polaridade que tomou conta do país desde 2013 está dificultando ainda mais que quem esteja no comando do país consiga uma saída para essa crise gigantesca que se abateu sobre o país. Enquanto os países asiáticos crescem a taxa de 6, 7 ou 8 por cento, o Brasil sonha em conseguir fechar o ano com pelo menos 1.5% de crescimento. Pior ainda: nossa renda per capita cai a cada dia e não estamos nem no TOP 5 da América Latina.
Devemos ressaltar, porém, que o homem só está há  quatro meses no governo. É lamentável  que quem votou na esquerda queira mais é que o Bolsonaro se exploda e que seu governo seja um fracasso. Mas é bom lembrar que todos nós estamos dentro desse navio à deriva chamado Brasil. Se ele afundar, ou afundamos juntos ou teremos de nadar até uma ilha mais próxima. Espero que não seja a ilha principal do Caribe, chamada Cuba
Se o Governo Bolsonaro não der certo, não daria certo também com o Haddad. Não há mais espaço no mundo para o "socialismo utópico" e menos ainda para o "Foro de São Paulo". Queiramos ou não, só há prosperidade em nações que permitam o livre comércio, a livre iniciativa e invistam na qualificação profissional de seus trabalhadores e na capacitação intelectual daqueles que tem a capacidade de produzir tecnologia. Em outras palavras: é ruim o capitalismo? Pior ainda as ditaduras socialistas que transformam os trabalhadores em massa de manobra da imensa e gigantesca máquina estatal.
 



Fonte: Daniel Oliveira da Paixão
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Daniel Paixão