Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

As contas absurdas emitidas pela Energisa - CPI DA ENERGISA - BOCA MALDITA

Boca Maldita de 11 de outubro de 2019
Publicado em: 15 de Outubro de 2019

CPI DA ENERGISA. As contas absurdas emitidas pela Energisa sobre o consumo de energia em Rondônia causa uma indignação generalizada nos consumidores. A qualidade da energia é ruim, existem quedas constantes e os valores aumentaram significativamente. Há casos de pessoas que passaram a pagar três ou quatro vezes mais depois da privatização da energia no estado. Recentemente, a Assembleia Legislativa de Rondônia instalou uma CPI para apurar as denúncias relacionadas com os preços abusivos, mas muita gente não acredita que haverá uma solução. Diversos consumidores ouvidos pela coluna acreditam que os deputados farão apenas barulho sobre o assunto, para animar a população, mas na prática nenhuma solução será apresentada. Vale lembrar que a privatização dos serviços de energia em Rondônia não causou apenas preços abusivos e um serviço de péssima qualidade. Muitos pais e mães de famílias foram demitidos depois da privatização. Não dá para entender por que existem ainda muitas pessoas que torcem pela privatização de outros serviços e empresas estatais.

CONTAS ABUSIVAS. Independentemente da CPI, os contribuintes de Rondônia precisam de uma solução imediata para as cobranças abusivas e os preços altíssimos praticados pela Energisa. Existem situações em que as contas aumentaram 30 ou 40% e há casos mais graves. Em todos os municípios de Rondônia, milhares de pessoas reclamam das contas de energia e realmente os valores são abusivos. Não há como explicar por que a empresa vem agindo de forma tão abusiva e nenhum autoridade ou nenhum órgão de fiscalização toma uma atitude. Vale lembrar que em Rondônia estão instaladas duas das principais usinas hidrelétricas do Brasil. Não dá para entender por que os valores cobrados são tão exorbitantes. Em diversos municípios do estado as pessoas já discutem uma forma de protestar contra os valores fora do comum que vem sendo cobrados pela Energisa. Há inclusive os que defendem medidas mais duras e extremas como invadir as instalações da Energisa. Mas a invasão, convenhamos, definitivamente não é o caminho mais inteligente para resolver o problema. O duro é que a Ceron foi vendida por ter sido saqueada e quem lucrou com isso, devem rir de quem está pagando conta que são os consumidores.

CONSELHO TUTELAR. No último domingo aconteceu em Cacoal e em todos os municípios do país a eleição para os membros do Conselho Tutelar. Os novos conselheiros e conselheiras tomam posse em janeiro e exercem mandatos de quatro anos. As atribuições do Conselho Tutelar são relacionadas com a legislação que trata das crianças e adolescentes. É muito importante destacar que a legislação prevê direitos e também obrigações dos menores e que a família tem papel fundamental na formação e criação de seus filhos. Como nos últimos anos, há uma incidência muito grande de problemas envolvendo menores, é necessário que todas as autoridades e a sociedade contribuam para a formação de crianças e adolescentes para que possamos diminuir os problemas atuais. No caso de Cacoal, estamos na torcida para que a administração municipal ofereça todas as condições necessárias para que os novos membros do Conselho Tutelar possam fazer um brilhante trabalho em defesa dos direitos de nossas crianças e adolescentes. Do mesmo modo, esperamos que cada família cumpra com suas obrigações para que tenhamos uma juventude livre de problemas.

TUMULTO ANUNCIADO. A eleição dos membros do Conselho Tutelar foi marcada por alguns problemas estruturais. Inúmeros eleitores estiveram no local de votação e desistiram de enfrentar as filas intermináveis em virtude das dificuldades. A comissão organizadora da eleição decidiu, não se sabe exatamente por que razões, escolher apenas um local para a votação, que funcionou na antiga escola Concórdia, no centro de Cacoal. Conforme os dados oficiais, é possível afirmar que menos de 6 mil pessoas votaram, embora Cacoal tenha mais de 60 mil eleitores, segundo os dados oficiais do TRE. Por diversas vezes, sugerimos aqui nesta coluna que houvesse mais de um local de votação, visto que temos bairros bem distantes do centro da cidade, como é o caso do Riozinho. O tumulto provocado no dia da eleição certamente deixou claro para os organizadores que nossa sugestão era uma boa ideia. Assim, esperamos que em outras eleições haja uma avaliação melhor, quanto à definição dos locais de votação.
OMISSÃO LEGISLATIVA. Após a realização das eleições do Conselho Tutelar, no começo desta semana, vários vereadores usaram a tribuna da Câmara de Cacoal para cobrar que a comissão organizadora definisse mais de um local de votação. Interessante este fato! Ficou a impressão de que os vereadores não sabiam da eleição.  Há vários meses, as pessoas se mobilizam para esta eleição e todos os vereadores sabiam dos fatos. Não faz sentido que eles somente agora façam cobranças relacionadas com a eleição. Caso a Câmara de Cacoal tivesse realmente interesse em ver uma eleição do Conselho Tutelar mais organizada deveria ter se manifestado muito antes, não somente sobre os locais de votação, mas também sobre o processo eleitoral e as regras que foram impostas, de maneira arbitrária aos candidatos. A Câmara assistiu a tudo calada e os candidatos foram prejudicados pela falta de organização. Nos últimos meses, a Câmara de Cacoal tem dado mais importância para brigas pessoais do que para assuntos de interesse da coletividade. Este é um dos motivos da falta de organização das eleições do Conselho Tutelar e de outros setores da cidade.  A verdade é que a câmara se omitiu no processo eleitoral, como se omite em muitos outros. 

CÂMARA x  REDES SOCIAIS. Os vereadores de Cacoal ainda não se acostumaram coma ideia de que existem as redes sociais e que elas possuem uma abrangência incalculável. Acabou-se aquele tempo em que políticos faziam lambanças e a população ficava sabendo depois de vários meses. Esta semana, o vereador Valdecir Goleiro entrou para o time dos vereadores que colocam a culpa nas redes sociais e nos contribuintes pelo insucesso do Poder Legislativo. Claro que existem pessoas que cometem excessos e não concordamos com isso, mas a grande maioria das pessoas faz comentários sobre atos e fatos dos quais os vereadores são protagonistas. Aqueles que fazem alguma coisa que causa indignação certamente serão citados nas mídias com maior intensidade. O caminho para nossos vereadores é apresentar propostas que sejam de interesse da população. Nenhuma pessoa pública consegue mais esconder suas trapalhadas. O maior exemplo disto é que o presidente da república foi eleito com a força das redes sociais e hoje sofre diariamente com elas. Como diriam os defensores do presidente: “é melhor já ir se acostumando!” Quem conhece o setor rural do município sabe que a conexão com a internet está em todos os lares rurais. Ainda que os vereadores sejam contra, as redes sociais tendem a aumentar e muito seu alcance. 

DITADURA NA CÂMARA. O vereador Claudinei Ribeiro (Castelinho) está muito irritado com a Mesa Diretora da Câmara de Cacoal. Na sessão ordinária ocorrida esta semana, Castelinho declarou que a administração da Casa tornou-se uma ditadura e que os vereadores que pensam diferente do presidente não podem utilizar os veículos da Casa de Leis para suas atividades de mandato. Castelinho lembrou que quando um vereador solicita um veículo para fazer algum trabalho no setor rural, a solicitação é negada, quando o vereador não faz parte do grupo político do presidente. Em resposta ao pronunciamento do vereador Castelinho, o presidente da câmara, Valdomiro Corá, usou a palavra e disse que um dos vereadores usou um veículo da Casa para ir à capital negociar um emprego para a sogra. Corazinho não citou claramente o vereador Castelinho, mas nos bastidores há quem diga que a fala do presidente era sobre o vereador do PSB. Castelinho não é o único que reclama dessa situação, pois o vereador Claudemar Littig já fez várias críticas sobre esta posição da Mesa Diretora. 

DIA DOS PROFESSORES. Na próxima terça-feira, será comemorado o dia dos professores e tudo indica que em Rondônia as comemorações serão muito contidas, principalmente entre os professores das escolas estaduais. O motivo da insatisfação é que no começo desta semana, o governador Marcos Rocha e o secretário de educação de Rondônia fizeram várias publicações de vídeos e textos, informando que os professores receberiam todos os benefícios do Piso Salarial com efeitos retroativos ao mês de janeiro. No dia seguinte às publicações, o governo disse que não era bem assim e que os cálculos não foram feitos corretamente. Uma pessoa que fazia parte da assessoria do secretário de educação foi exonerada do cargo, por ter declarado que o governo poderia cumprir as promessas, porque possui os recursos suficientes. Em todo o estado, os protestos são grandes e a indignação dos professores é visível. O governador e o secretário terão muita dificuldade para lidar com os professores de Rondônia após este episódio, porque a situação causou uma confusão jamais vista em Rondônia. 

CACOAL E AS NASCENTES. Nos próximos dias, Cacoal participará de uma importante disputa nacional. O município está classificado entre os dez municípios brasileiros que executam projetos cuja finalidade é proteger as nascentes dos rios. Como é do conhecimento de muitas pessoas, existe realmente um antigo projeto que contava inicialmente com a participação de diversas pessoas da comunidade, entre elas moradores do setor rural, e que tratavam da proteção das nascentes. Em virtude de incontáveis dificuldades financeiras o projeto foi colocado de lado por um bom tempo, mas, nos últimos dois anos, foi reativado por técnicos da prefeitura de Cacoal. É muito importante que a população da Capital do Café conheça o trabalho que vem sendo realizado, porque a proteção das nascentes serve também para proteger inúmeras espécies vegetais e animais de nossa cidade e da região. Estamos na torcida para que Cacoal tenha o reconhecimento devido na competição e que o projeto possa ganhar novos apoiadores e angariar os recursos dos quais necessita para manter as atividades.

 

 

O EDUARDO CRISTO DE OLIVEIRA, cartorário e residente em Cacoal desde 1983,  paranaense da cidade de Campo Mourão,  patrono do CTG - Centro de Tradições Gauchas Relembrando o Sul, corintiano, esposo da Bernardete Lorena do 1º Oficio do

Registro de Imóveis; pai da Dra. Deisy Cristian (Juiza de Direito em Ariquemes), da Michelly Lorena (advogada) e da Karina Danielle Lorena (advogada), avô de quatro netos e quatro netas, também lê TRIBUNA POPULAR e o www.tribunapopular.com.br



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita