Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

BOCA MALDITA - LÍNGUA PRETA

BOCA MALDITA, de 10 de janeiro de 2020
Publicado em: 10 de Janeiro de 2020

LÍNGUA PRETA. Estamos iniciando mais um ano de Boca Maldita e já vamos falando que o cenário político de Cacoal ganhou um tempero excelente no final do ano passado. A TV Web Cacoal Play,, dirigida pelo Clovis Firme, inaugurou, no mês de dezembro o programa Língua Preta, que entrevista personalidades do mundo político cacoalense. Como forma adotada pelos apresentadores Mabel Vianna e Lúcio Lacerda mistura humor com política, a audiência tem sido muito alta. A maneira leve, descontraída e irreverente com que eles recebem os convidados certamente é o diferencial. Como este ano teremos eleições municipais, o eleitor ganhou um ótimo canal para conhecer o que pensam e o que pretendem os políticos da Capital do Café. Parabéns aos criadores e apresentadores do Língua Preta!!!

 

MUDANÇA DE HÁBITO. Falando no programa Língua Preta, muitas pessoas se surpreenderam quando a vereadora Maria Simões esteve nos estúdios na semana passada e declarou que o único defeito da prefeita Glaucione Rodrigues é ter a voz feia. Realmente a mudança de opinião da vereadora foi da água para o vinho, porque diversas pessoas próximas a ela ouviram muitas vezes a mesma Maria Simões afirmar em 2016 que não seria nem candidata naquele ano, caso seu partido fizesse coligação com o partido da prefeita. Após as eleições, nem o presidente da Câmara de Cacoal, que é cunhado da prefeita, consegue ser mais aliado do que a vereadora Maria Simões. Ou prefeita mudou muito ou a vereadora esqueceu as coisas que dizia em 2016. 

 

POLÍTICA E CONFUSÃO. Como é de conhecimento de todas as pessoas que acompanham a Câmara de Cacoal, este segundo biênio do legislativo da Capital do Café foi marcado por polêmica e muita confusão. Desde o início da gestão do vereador Valdomiro Corá, os barracos, brigas, agressões pessoais e a falta de produtividade têm sido a marca do legislativo cacoalense. Para fechar o ano de 2019 e manter a tradição de barracos, os vereadores Nilton César e Jabá Moreira protagonizaram, na última sessão do ano mais uma confusão. A situação começou quando o professor Nilton César passou a provocar o colega Jabá Moreira, alegando que ele havia esquecido de tomar remédios para controlar os nervos. Nilton chegou a citar o nome de um medicamento classificado como tarja preta e que já nem é mais prescrito, por estar ultrapassado. O vereador Jabá Moreira reagiu e sugeriu que o colega ingere bebidas alcoólicas antes das sessões. Nos bastidores da Câmara de Cacoal circulam comentários no sentido de que o vereador professor Nilton César tem sido orientado por pessoas próximas à prefeita para provocar o Jabá em todas as sessões. Ferrenho opositor da administração, no primeiro ano de mandato, o professor Nilton César é hoje o vereador que mais briga em defesa da prefeita Glaucione Rodrigues. Política tem dessas coisas...

 

NOVO ORÇAMENTO. O novo ano iniciou e certamente as expectativas são grandes, porque a administração tem falado que esperava a mudança de ano para concretizar algumas ações que a população cobra, há vários anos. Entretanto, alguns setores não devem alimentar muitas esperanças. Para citar apenas um exemplo, a pasta da agricultura teve o orçamento diminuído em cerca de meio milhão de reais, em relação ao ano passado. E quando as pessoas da zona rural quiserem reclamar da redução do orçamento, não precisa bater cabeça para saber de quem foi a obra. O projeto prevendo a diminuição foi assinado e encaminhado pela prefeita Glaucione Rodrigues e foi aprovado com 12 votos na Câmara de Cacoal. Neste caso, o presidente da Câmara não pode dizer que não votou, porque a legislação exige que todos os vereadores votem em determinadas situações, entre elas a votação do orçamento. Resta saber se os vereadores que disputarão a reeleição vão dizer nas linhas que defendem a agricultura. 

 

ACIDENTES DE TRÂNSITO. Os condutores de motocicletas que circulam em Cacoal e região precisam atentar para um dado alarmante relacionado com os procedimentos cirúrgicos realizados no Hospital Regional de Cacoal. Conforme dados estatísticos fornecidos por profissionais da área médica naquela unidade de saúde, cerca de 82% dos pacientes que são submetidos a intervenções cirúrgicas no HRC são vitimas de acidentes envolvendo motocicletas. Isto significa que de cada 10 pessoas que fazem cirurgias de pernas, braços e rostos, 8 estavam dirigindo motos ou eram passageiros. Os condutores de motocicletas precisam realmente fazer uma reflexão profunda sobre esses números, porque a falta de atenção pode estar relacionada com esses números tão negativos. E tem aquele “piloto” de motocicleta, que com uma dessas máquinas, mas bem potente, acha que é o dono da cidade e inferniza a população, principalmente no centro, todos os dias com o escapamento ensurdecedor e ninguém nada faz para discipliná-lo. Nem mesmo em frente de hospitais ele reduz o barulho. Até quando? 

 

NATAL COM POLÍTICA. Como este ano teremos eleições municipais, muitos pretendentes a uma cadeira na Câmara Municipal  de Cacoal estão se movimentando de maneira muito intensa nos bastidores e fazendo de tudo para atrair eleitores. No fim de 2019, diversos desses candidatos compraram dezenas de brinquedos e saíram para alguns bairros de Cacoal para entregar presentes de Natal a crianças pobres. Claro que o espírito natalino era a última coisa que movia esses dedicados doadores; o principal motivo era a campanha eleitoral, porque os pais das crianças atendidas são eleitores e podem se tornar cabos eleitorais dos papais noéis. Embora algumas dessas pessoas façam discursos emocionantes, pregando uma nova política, todo mundo sabe que essa prática de comprar eleitores com presentes sempre foi usada em Rondônia. Quando a legislação ambiental era mais suave, o Múcio Athayde foi eleito deputado federal em Rondônia distribuindo motosserras para agricultores. Essa velha prática existe nas eleições desde a criação do estado e pelo que vimos no período de Natal, não vai mudar tão cedo.

 

UNIFORMES DA DISCÓRDIA. O ano letivo nas escolas municipais de Cacoal ainda não começou, mas  a polêmica sobre o setor de educação certamente será grande neste começo de ano. O motivo da polêmica será um projeto encaminhado pela prefeita Glaucione Rodrigues à Câmara de Cacoal. O projeto prevê que os índices percentuais de investimentos na educação, estabelecidos no Plano Municipal da Educação sejam reduzidos para que parte desse percentual seja destinada à compra de uniformes para as crianças matriculadas na rede municipal. A ideia não é ruim, mas existem detalhes no projeto que precisam ser corrigidos antes da aprovação da matéria. Alguns vereadores ligados à administração aproveitaram a situação para tentar colocar a população contra outros vereadores, mas essa conduta tem muito mais fofocas do que vontade de defender as crianças. Na realidade, não existe nenhum vereador que seja contra a aprovação da matéria. Alguns vereadores apenas sugeriram fazer correções no texto do projeto. Fazer correções não significa ser contra e isto precisa ficar claro. Além disso, não havia necessidade nenhuma de discutir o projeto no período de férias dos vereadores. Caso o projeto fosse encaminhado ao legislativo no primeiro semestre de 2019, não haveria essa confusão e caso os vereadores ligados à administração tivessem toda essa vontade de defender as crianças, teriam solicitado à prefeita que enviasse a matéria com antecedência. Essa intenção de demonizar colegas tem sido algo muito ruim dentro da Câmara de Cacoal e a população paga um alto preço por causa dessa conduta de muitos vereadores. 

 

BABALORIXÁ ELEITORAL. As eleições municipais em Cacoal certamente serão muito agitadas em função de alguns fatores inusitados. Recentemente, apareceu um vidente desses que costumam aparecer em período eleitoral e visitou um programa de TV da cidade. O vidente declarou que mora no estado de Goiás, mas que sabe quem será eleito ou reeleito em Cacoal. O engraçado é que muitas pessoas acreditam nisso e pensam mesmo que esses videntes eleitorais sabem o que falam. Basta o leitor observar que esses videntes não aparecem na lista de premiados da Mega da Virada. Ou será que eles só entendem de números eleitorais??

 

MARCAS ADMINISTRATIVAS. Poucos dias atrás, em uma roda de conversas, algumas pessoas do universo político comentavam sobre as obras que marcaram as administrações nos últimos anos em Cacoal. Enquanto chupavam melancia, tais pessoas lembravam que Sueli Aragão construiu o teatro municipal, a escola Maria do Socorro, o ginásio Ronaldo Aragão, além de ter reformado completamente as escolas Cláudio Manoel da Costa e Santos Dumont. Sobre a época Franco Vialeto, foram citadas as construções de milhares de casas populares, a reabilitação do SAAE, a construção da UPA, a Vila Olímpica e diversas outras obras. A prefeita Glaucione precisa estar atenta a esses fatos, para não cair no esquecimento ou entrar para a história como uma administração que não deixou marcas importantes da sua gestão. Vale lembrar que Sueli Aragão fez mais de 100 km de asfalto e o padre Franco fez mais de 200 km. Mas nossa prefeita ainda tem tempo para superar seus antecessores. A turma da melancia pode se surpreender.

 

CORAZINHO VAI FALAR. Após o grande sucesso de público do programa Língua Preta e após a entrevista com a vereadora Maria Simões, tudo indica que amanhã o programa vai superar os números, porque os apresentadores Mabel Vianna e Lúcio Lacerda receberão nos estúdios o vereador Valdomiro Corá, presidente da Câmara Municipal de Cacoal. Como é uma marca do programa, ao final, os entrevistados são surpreendidos com alguma brincadeira bem humorada. Vale a pena esperar, assistir e saber como será a visita do Corazinho aos estúdios.  Os produtores do programa confessaram para a coluna qual será a brincadeira, mas não estamos autorizados a anunciar. Aguardem!!!

 

O ALDECY ANTONIO DA SILVA, natural de Simões - Piauí,  esposo da Aparecida Rocha da Silva e pai de Claudio Henrique, em Cacoal desde de 1990, muito conhecido por ser taxista há  mais de 10 anos, que recentemente, em parceria com o Silvio implantou em Cacoal o aplicativo de mobilidade urbana UniMobi, também lê TRIBUNA POPULAR e www.tribunapopular.com.br.



Fonte: TRIBUNA POPULAR-REDAÇÃO
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita