Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

UM APELIDO PARA CADA VEREADOR DE CACOAL - LEIA COLUNA BOCA MALDITA

Boca Maldita - 27 de setembro de 2019
Publicado em: 30 de Setembro de 2019

SECRETÁRIO REGIONAL. Na sessão da última segunda-feira, o Secretário Regional de Governo, Celso Adame, esteve na Câmara Municipal de Cacoal para falar das atividades do governo Marcos Rocha. Na oportunidade, alguns vereadores fizeram questionamentos sobre aqueles setores do sistema público estadual que apresentam deficiência. Celso Adame fez o possível para justificar eventuais falhas e disse que o governo tem trabalhado para fazer o melhor que pode pelos rondonienses, apesar das dificuldades. É importante lembrar que o governador de Rondônia é do mesmo partido do presidente e durante toda a campanha prometeu que faria todos os seus atos com base em orientações do presidente da República. Entre as cobranças feitas pelos vereadores, está a situação do Hospital Regional de Cacoal que tem enfrentado diversos problemas pela falta de serviços sobre os quais existem reclamações, como é o caso de exames de vários tipos. Além dos exames, a falta de profissionais foi lembrada pelos vereadores.

MARCO AURÉLIO VASQUES. Falando em visita ao legislativo, a Câmara de Cacoal recebeu esta semana, na sessão de segunda-feira o Dr. Marco Aurélio Vasques, que durante o governo Confúcio Moura foi Diretor Geral do Hospital Regional e do Complexo Regional/Heuro. Quando chefiou estas unidades, o Dr. Vasques era muito conhecido pela capacidade técnica e pela qualidade dos serviços que eram prestados no Hospital Regional de Cacoal. Durante o período em que durou a sessão, diversas pessoas conversaram com Marco Aurélio Vasques e pediram opinião sobre a atual situação do setor de saúde pública de Cacoal, mas ele informou que respeita os atuais dirigentes do Regional e prefere não fazer críticas sobre o complexo, para evitar conflitos desnecessários. Marco Aurélio Vasques está entre os nomes mais cogitados para disputar a sucessão municipal de Cacoal em 2020. O Dr. Vasques também faz parte do quadro docente da Unesc e atende estudantes de Medicina no município de Vilhena. Vasques chegou a ser secretário de saúde do município de Vilhena e fez um trabalho brilhante como gestor deste setor. Caso esteja entre os candidatos, com certeza, será um nome de peso na disputa eleitoral em Cacoal, no próximo ano.

ORÇAMENTO DA AGRICULTURA. O vereador Claudemar Littig (Mão) fez um duro discurso na sessão desta semana e criticou a prefeita Glaucione Rodrigues pelo projeto encaminhado ao legislativo que trata do orçamento de Cacoal para o ano de 2020. O vereador Mão questionou a diminuição dos recursos previstos no orçamento para o setor da agricultura, visto que haverá uma diminuição de mais de meio milhão de reais. Realmente não dá para entender por que um setor tão importante como a agricultura tem o orçamento diminuído, já que este setor é uma marca da cidade de Cacoal. Por uma questão de lógica, o orçamento da agricultura deveria aumentar em 2020, porque durante este ano vários eventos foram realizados pela administração com a finalidade de promover a agricultura e falar sobre a produção do município. Cacoal chegou a ganhar diversos prêmios pela atividade agrícola e o vereador Mão falou sobre esta situação. Claro que o orçamento é uma proposta do Poder Executivo, mas cabe aos vereadores fazerem as alterações que eles julgarem necessárias para atender os diversos setores do município.

BRIGA JUDICIAL. O Desembargador Renato Martins Mimessi, do Tribunal de Justiça de Rondônia, decidiu recentemente que o projeto referente ao empréstimo de cinco milhões de reais, encaminhado pela prefeita Glaucione Rodrigues à Câmara Municipal de Cacoal e que acabou virando objeto de uma grande batalha judicial entre os vereadores da situação e da oposição não pode ser considerado como aprovado. O desembargador decidiu ainda que nenhuma medida relacionada com o seguimento do citado projeto pode ser adotada pela administração de Cacoal. O problema é que vários vereadores afirmam que o projeto nunca foi votado no legislativo e que o presidente da casa fez manobras para aprovar a matéria sem que tenha obedecido a tramitação correta. Os vereadores que defendem a administração juram que o projeto foi votado e que foi tudo feito dentro da lei. As pessoas que costumam frequentar as sessões também sabem que o projeto não foi votado, mas a Mesa Diretora bate o pé. A decisão do magistrado do TJ não encerra as discussões e os defensores do projeto prometem seguir na briga para fazer valer a vontade da administração. Tudo indica que a polêmica vai longe...

VOTO DECISIVO. O vereador Nilton Cesar da Mata tornou-se alvo de diversas críticas relacionadas com a tramitação do projeto dos cinco milhões. No dia em que a matéria seria discutida na Casa, ele não compareceu à sessão e alegou, dias depois que precisou viajar para a capital onde tinha compromissos. Entretanto, os vereadores da oposição afirmam que ele fez um acordo com algumas pessoas que defendem o projeto para viajar e não votar. Neste caso, afirmam alguns opositores, a situação seria decidida pelo voto do presidente da Casa, o vereador Corazinho, que também é cunhado da prefeita. Na última sessão, o vereador Nilton Cesar subiu à tribuna e afirmou que está chateado pelas críticas que vem recebendo e que caso o projeto volte a ser discutido, ele vai votar a favor para contrariar seus críticos. Antes da confusão, o professor Nilton era totalmente contrário à aprovação da matéria, mas alguns de seus colegas dizem que ele passou a ser aliado da administração. Alguns eleitores do vereador Nilton já afirmaram que ele precisa ter uma posição clara e que não estão contentes com a atuação dele no legislativo.  

COMBATE À POBREZA. Analisando o projeto de lei que se refere ao orçamento do município, é possível constatar que existe um Fundo Municipal cuja finalidade é combater a pobreza no município de Cacoal. No ano de 2019 a previsão de orçamento para este fundo era de R$ 6.000,00. O Fundo Municipal de Combate à pobreza tem entre outras finalidades, a atribuição de custear situações em que pessoas reconhecidamente pobres em Cacoal precisem de ajuda financeira, como os casos de compra de medicamentos, casos de funerais e outras situações. Neste caso, é curioso constatar que o valor previsto no orçamento deste ano é o mesmo que está previsto para o ano de 2020. Assim, podemos concluir duas coisas: o número de pobres em Cacoal é tão baixo que pode ser atendido com apenas R$ 6.000,00. Além disso, de um ano para outro não surgiram novos pobres na cidade. Estes números são importantes, porque revelam que a população da cidade possui situação financeira que não foi abalada pela crise que atingiu o Brasil nos últimos anos. Que maravilha!!!

CODINOMES POLÍTICOS. Um grupo de pessoas que costuma frequentar as sessões da Câmara de Cacoal resolveu arrumar um apelido para cada vereador de Cacoal. Então durante as conversas em redes sociais, esses vereadores são chamados pelos apelidos. Nossa equipe conversou com pessoas que fazem parte deste grupo para saber como são conhecidos os vereadores da Capital do Café. Eles são conhecidos por alguma particularidade que possuem e que chama a atenção de quem conhece a rotina dos edis. Os apelidos são os seguintes: Coca – Cola, Rondônia Embalagens, Azeite de Oliva, Lampião, Três D, Fanfarrão, Boiada, Cafezal, Sarney Cacoalense, Lata Velha, Linguiça, Carne Seca e Turista. Em edições futuras, vamos citar fatos envolvendo nossos vereadores e citar os apelidos para que nossos eleitores possam identificar. É possível que algum deles tenha a criatividade de registrar o apelido para usar na urna eletrônica em 2020. Vamos esperar e ver o que acontece e enquanto isso, você pode ir adaptando o apelido a cada vereador. Veja no final, quantos você acertou.

PROMESSAS DE CAMPANHA. O vereador Claudinei Ribeiro está muito revoltado com a situação da atual administração de Cacoal. Na sessão desta semana, o vereador fez vários questionamentos sobre o Plano de Governo apresentado pela prefeita Glaucione Rodrigues na campanha de 2016 e cobrou a execução das promessas. Sobre as ruas e avenidas da cidade, a prefeita prometeu naquele ano que, caso fosse eleita, em 2017 tomaria posse e faria a recuperação de todas as ruas e avenidas de Cacoal. Ainda segundo o vereador Castelinho, ela prometeu que no primeiro ano de governo faria a recuperação de todas as vias e que em 2018 faria apenas o serviço de manutenção. Conforme criticou o vereador, até hoje tudo ficou na conversa e apenas alguns pontos da cidade indicados pelos vereadores ligados à administração foram recuperados para agradar os vereadores aliados. Não é a primeira vez que o vereador Castelinho cobra da prefeita as promessas de campanha e ele costuma lembrar que o deputado Elcirone Deiró era seu vice na chapa e ajudou a prometer as coisas que até hoje não foram cumpridas. 

PREDIOS ABANDONADOS. Na mesma ocasião, o vereador Claudinei Castelo lembrou que a atual administração  fez a opção por alugar diversos prédios onde funcionam setores do município, enquanto vários prédios que pertencem ao município estão completamente abandonados. Em seu pronunciamento o vereador citou a Semast, unidade mista, teleclube e diversos outros imóveis municipais que estão em situação de abandono. Castelinho avaliou que a administração gasta por ano cerca de um milhão de reais com pagamento de aluguel, quando poderia fazer economia para investir em outras prioridades. Realmente é uma situação controversa o fato de o município possuir diversos imóveis abandonados na cidade e adotar como filosofia o aluguel de prédios para abrigar suas secretarias. Com a economia dos aluguéis, Cacoal poderia fazer uma economia de cerca de cinco milhões durante esta gestão, caso não precisasse alugar imóveis, o mesmo valor do empréstimo que a prefeita deseja fazer na Caixa Econômica Federal.

 

O JOVEM MARCELO GALINARI, funcionário da Segurabem, nascido em Cacoal em 1992, que cursa educação física na Facimed, flamenguista, filho do Ilton Ferreira da Silva e Aparecida Galinari da Silva, também lê TRIBUNA POPULAR e www.tribunapopular.com.br. 



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita