Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Vereador fez críticas contra o Ministério Público - Boca Maldita de 2.08.2019

Boca Maldita de 23 de agosto de 2019
Publicado em: 26 de Agosto de 2019

NIVER DA TRIBUNA. Esta semana, precisamente hoje, dia 23 de agosto, o jornal Tribuna Popular completa 39 anos de existência. No dia 23, em agosto de 1980, aconteceu a inauguração das instalações deste veículo de comunicação, com o lançamento da edição numero 1. Muitos dos pioneiros da história de Cacoal chegaram ao município bem depois da instalação de Tribuna Popular. Enfrentamos muitas dificuldades, muitos desafios, mas nunca deixamos de manter a honra, a dignidade e o compromisso de informar a população, registrando todos os fatos da história de nossa Amada Cacoal e dos demais municípios que formam este importante estado da federação. Claro que tivemos muitos problemas nessas quatro décadas, mas estes problemas não foram suficientes para nos impedir de levar aos nossos milhares de leitores a verdade sobre os fatos que fizeram a história deste município. Assim, registramos os nossos agradecimentos a todas as pessoas que, nestes 39 anos, fizeram parte da história da Tribuna Popular, alguns como colaboradores, outros como leitores, outros como incentivadores e muitos como torcedores pelo nosso sucesso, que também é o sucesso de Cacoal. Um grande abraço da Família Tribuna Popular!!!

INCONSCIÊNCIA, DOENÇAS E DESTRUIÇÃO. A população de Cacoal está sofrendo muito com as inúmeras queimadas ilegais praticadas nos últimos dias. Claro que todo mundo sabe que este problema, infelizmente, acontece todos os anos, porque a quantidade de pessoas sem consciência é muito grande. A quantidade de animais mortos é infinita, os hospitais ficam lotados de crianças, jovens e adultos, a vegetação é completamente destruída. É lamentável que isto ocorra todos os anos e mais lamentável ainda é constatar que este ano as coisas estão acontecendo com muito mais intensidade. As pessoas sabem que as queimadas causam muitos transtornos, mas o problema não tem solução. Idosos e crianças são as vítimas mais afetadas, além das pessoas com problemas respiratórios já diagnosticados. É difícil entender por que a humanidade provoca tanta destruição no ambiente onde vive. Vale lembrar que, de todas as espécies de animais que existem no mundo, a única espécie que destrói a natureza de modo criminoso é o ser humano, curiosamente a única espécie dotada da capacidade de pensar...

DEFENSORIA PÚBLICA. Na sessão do inicio desta semana, o chefe da Defensoria Pública de Cacoal esteve presente, participou da sessão e fez diversos esclarecimentos sobre a situação da estrutura física e a logística do órgão no município. Ele também citou os números de atendimentos e ações desenvolvidas pela Defensoria, deixando claro que o órgão presta serviço para as pessoas de poder aquisitivo baixo e que buscam resolver situações no âmbito do Poder Judiciário. Na ocasião, o Chefe da Defensoria esclareceu os últimos acontecimentos em que o Tribunal de Contas de Rondônia quer entregar o prédio que utilizava em Cacoal para a Defensoria. Alguns vereadores são favoráveis à cessão do imóvel que era utilizado pela Corte de Contas para ser a sede da Defensoria Pública em Cacoal. Outros avaliam que, como o imóvel (terreno) pertence ao município e como o município gasta quase um milhão de reais por ano com aluguéis, o prédio deve ser reintegrado ao patrimônio municipal com a finalidade de abrigar algumas atividades municipais. Tem até quem entenda que o prédio possa ser dividido entre Prefeitura e Defensoria por haver grande espaço por ali.

SAÚDE DA FAMÍLIA. Uma grande polêmica tomou as redes sociais e rodas de conversa em Cacoal nos últimos dias. O tema das discussões é a suspensão das atividades do Programa Saúde da Família cujos repasses de recursos foram suspensos pelo Ministério da Saúde, em virtude da falta de prestação de contas por parte da administração. Com a suspensão dos recursos, inúmeras famílias ficarão sem este importante atendimento e o município pode permitir que diversos problemas de saúde pública aconteçam pela falta de orientação e prevenção. É necessário registrar que o estado vive uma grande problemática, com as inevitáveis queimadas criminosas que ocorrem neste período. A ausência de uma equipe do setor de saúde, certamente irá potencializar as fragilidades na falta de atendimento à população. Esperamos que as autoridades municipais e estaduais tomem todas as medidas cabíveis para solucionar este grave problema. A saúde das famílias não pode ser prejudicada pela incapacidade administrativas dos políticos.

INTERPRETE DE LIBRAS. A Câmara Municipal de Cacoal tem sido muito criticada pelo fato de realizar as sessões ordinárias sem a presença de um intérprete de LIBRAS. Como todo mundo sabe, a comunidade surda e todos as pessoas que possuem alguma necessidade especial, precisam ter seu direito de acessibilidade garantido pelas instituições ou pessoas. É muito comum a presença de diversas pessoas surdas no plenário da Casa de Leis ou mesmo pessoas surdas que acompanha as transmissões das sessões pelos meios tecnológicos. Assim, a Câmara de Cacoal não pode ferir o direito que os surdos têm de ter acesso às informações. É necessário que a Mesa Diretora da Casa tome as medidas cabíveis, com urgência, para solucionar este grave problema. Os contribuintes merecem respeito, os surdos merecem respeito e não podemos aceitar isto de braços cruzados. Ainda que os vereadores falem que conhecem a língua do povo, a falta de um intérprete de LIBRAS na Câmara deixa claro que tudo não passa de discurso vazio.

MINISTÉRIO PÚBLICO. Um fato curioso aconteceu na última segunda-feira, na sessão da Câmara de Cacoal. O vereador Rogerinho Chagas subiu à tribuna da Casa Legislativa e fez duras críticas contra o Ministério Público, afirmando que ele telefonou para o órgão, querendo um esclarecimento pela falta de médicos na unidade de saúde HEURO e que foi tratado com deselegância pela servidora do MP. Algumas pessoas presentes no plenário chegaram a imaginar que ele estava brincando, mas ele aumentava o tom a cada afirmação, deixando claro que está muito irritado com o Ministério Público. É muito provável que o nobre edil desconheça as atribuições dos vereadores e do Ministério Público, mas definitivamente o telefone não é o canal de comunicação adotado para resolver o problema da falta de médicos nas unidades de saúde. Até o momento, o Ministério Público não se manifestou sobre as críticas proferidas pelo vereador, mas não sabemos se foi por falta de tempo, por desconhecimento dos fatos ou por aceitar as críticas. 

CAOS NA SAÚDE. Aliás, falando em saúde pública, a vereadora Maria Simões, que exerce a função de líder da prefeita na Câmara, declarou na mesma ocasião que o município aplica, todos os meses, cerca de 400 mil reais para o pagamento de servidores que prestam serviços ao estado nas unidades do HEURO e Hospital Regional. Talvez seja por isso que as atribuições do município com a saúde básica não estejam sendo cumpridas como deveriam. Claro que os servidores municipais que prestam serviços nas unidades estaduais de saúde são importantes, mas é injusto o estado colocar o município nesta situação. Oficialmente, Cacoal é um polo regional de saúde, administrado pelo estado. O Hospital Regional e o HEURO são unidades estaduais e cabe ao governo do estado cuidar da saúde nos campos de média e alta complexidade. Assim, é necessário que uma solução seja encontrada e que o estado coloque à disposição da população profissionais que sejam custeados pelos cofres estaduais. Esses servidores municipais poderiam, muito bem, atender as unidades de saúde do município, onde muitas vezes faltam médicos, enfermeiros, técnicos e outros profissionais.  

PROJETOS DO CASTELINHO. No começo desta semana, a Câmara de Cacoal aprovou dois projetos de autoria do vereador Claudinei Ribeiro Castelinho que tratam de assuntos muito conhecidos pelos cacoalsenes. Um dos projetos prevê que empresas do município podem adotar pontos de ônibus e construir abrigos que possam ser utilizados por quem usa o transporte público e até mesmo para que as pessoas que transitam nas ruas possam se proteger do sol ou das chuvas. Neste caso, as empresas podem construir os abrigos que servirão como pontos de ônibus e colocarem suas marcas, com a finalidade de divulgar seus produtos ou serviços. Há quem discorde da ideia, mas muita gente gostou. Outro projeto de autoria do Castelinho aprovado na mesma ocasião tem como objetivo impedir que pessoas processadas ou condenadas pelos atos previstos na Lei da Ficha Limpa tenham os nomes colocados em prédios e logradouros públicos. Caso o projeto do vereador Castelinho, aprovado por unanimidade na Casa de Leis, seja mesmo levado a sério, muitos políticos atuais e ex-mandatários de Cacoal tendem a cair mesmo no esquecimento, porque não terão seus nomes lembrados em lugares que podem sugerir a ideia de que foram úteis para a história do município.

CONTAGEM REGRESSIVA. Daqui a 08 dias, acontece em Cacoal a Segunda Festa do Café. O evento é organizado pela prefeitura de Cacoal e acontece nos dias 30 e 31 de agosto, no Complexo Beira Rio, em parceria com diversas outras instituições e pessoas e tem como finalidade principal evidenciar as potencialidades do produto que deu ao município de Cacoal o carinhoso apelido de “Capital do Café”. Há muitos outros municípios do estado que estarão diretamente ligados ao evento, porque, assim como Cacoal, também fazem parte das cidades cuja economia gira em torno deste importante produto. Aliás, é importante destacar que todos os produtos que podem ser produzidos a partir do café estarão expostos na festa. Além disso, como existe um aspecto cultural na organização do evento, diversos outros produtos e serviços serão colocados à disposição das pessoas que participarem das atividades. Diversas bandas também farão apresentações no local e será realmente uma excelente oportunidade de lazer, cultura e entretenimento. Aguardem!!!!

EM TEMPO: A exemplo de todos os aniversários, TRIBUNA POPULAR pede para que você continue não se acanhando e pode homenagear o jornal, afinal, uma lembrancinha transformada numa caixinha de cerveja, um vinho, um wiskynho, refri, um pernil, uma picanha... são bem vindos e os tribuneiros agradecem! Vamos manifestar sobre a cantadinha, como é comum nas redes sociais: rsrs... kkk!!!

 

O AGMAR M. DE SOUZA, que nasceu na cidade de Umuarama-PR, que reside em Cacoal desde 1984, eterno funcionário do Joaquim Ribeiro, desde a Casa Castelo Branco e hoje na Ribeiro Materiais para Construção,  torcedor do Santos F.C, esposo da Maria de Fátima, pai do Rafael e da Keila e vovô do Davi e da Izabela, também lê Tribuna Popular e www.tribunapopular.com.br. Obrigado!!!



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita