Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Boca - Maldita de 21 de dezembro de 2018

Boca - Maldita de 21 de dezembro de 2018
Publicado em: 21 de Dezembro de 2018

Boca - Maldita de...

CACOAL SOLIDÁRIO. A população de Cacoal terá mais uma vez a oportunidade de mostrar sua solidariedade e ajudar pessoas que necessitam da contribuição dos cacoalenses. A nossa amiga ANA CLEIA, pessoa muito conhecida na cidade e que teve excelente contribuição na área da cultura e na área da ação social de nossa cidade precisa de nosso apoio neste momento. Assim, no próximo domingo, dia 23 de dezembro, vai acontecer um evento no pátio da Igreja Matriz, onde uma feijoada será vendida, com a finalidade de reverter a renda para o apoio à Ana Cleia. Pela sua história e pela grande contribuição em defesa da população de Cacoal, ela merece nosso apoio e nossa contribuição. Maiores informações pelos fones 9 9909 1881 e 9 8485 2271. Participe, colabore e seja solidário!!!

MOVIMENTAÇÃO ATÍPICA. O Ministério Público do Rio de Janeiro abriu procedimento para investigar todas as pessoas citadas no relatório do departamento de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), assunto que foi muito divulgado na semana passada, depois que o motorista do senador eleito Flávio Bolsonaro foi citado entre as pessoas com movimentação atípica no relatório solicitado pelo Órgão Ministerial. Fabrício Queiroz aparece no relatório como o titular de uma conta que movimentou 1,2 milhão de reais em um período de um ano, valor considerado pelos investigadores como incompatível com os ganhos do motorista. Neste período de movimentação “atípica”, o motorista da família Bolsonaro fez um depósito em cheque nominal na conta da esposa do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Questionado pela imprensa sobre os fatos, o presidente evitou o assunto e apenas disse que o motorista é seu amigo há mais de três décadas. O senador Flávio Bolsonaro disse que cabe ao seu motorista explicar, mas que ele é de confiança da família. 

NOVO GOVERNO. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, realizou, na última quarta-feira, uma reunião com os 22 ministros que irão compor o primeiro escalão do novo governo. Na reunião, o presidente cobrou que cada ministro apresentasse o que pretende fazer nos primeiros meses do governo e que pode ser considerado como prioridade, dentro da linha filosófica do capitão eleito. Durante a campanha, o então candidato prometeu que reduziria o número de ministérios de 29 para 15, porém a redução do número de pastas foi bem menor do que ele anunciou. Vale lembrar que o presidente eleito teve como principal bandeira de campanha combater a corrupção em todos os níveis. Bolsonaro prometeu, ainda, que nenhuma pessoa que tivesse o nome envolvido em corrupção teria cargo em seu governo. Porém, dos 22 ministros anunciados, 09 são condenados ou investigados em algum crime, fato que ele podia não ter conhecimento e a curiosidade é se vão assumir ou serão substituídos.

MARLI CAHULLA. A ex-secretária de Estado da Educação de Rondônia, Marli Cahulla, recebeu uma péssima notícia essa semana. Em um processo movido pelo Ministério Público Estadual, por recomendação do Tribunal de Contas do Estado, ela está sendo cobrada a devolver ao erário rondoniense cerca de 8 milhões de reais. Claro que a ex-secretária terá o direito de apresentar todos os argumentos para mostrar que a cobrança é indevida, já que o fato de responder não implica condenação, mas ela terá que apresentar argumentos muito convincentes porque a ação está em curso. Alguns dos antecessores de Marli Cahulla estão até hoje com os bens penhorados pela justiça e respondendo diversas ações. Pastas como a secretaria de educação ou de saúde são realmente muito complexas e, muitas vezes, as pessoas acabam tendo dor de cabeça mesmo sem ter relação direta com os problemas. Em outras palavras, muita gente acaba pagando sem dever, pelo fato de ter sido titular da pasta e por não conseguir apresentar as explicações que os acusadores exigem. 
 

DIPLOMACÃO DOS ELEITOS. Na última terça-feira, o Tribunal Regional Eleitoral realizou a cerimônia de diplomação dos candidatos eleitos para a posse no início do próximo ano. Foram diplomados os dois senadores eleitos, os oito deputados federais os 24 deputados estaduais e os suplentes. Além disso, também receberam os diplomas o governador eleito e vice-governador. O coronel Marcos Rocha, governador eleito, e seu vice, José Jodan, tomam posse no dia 1º de janeiro, enquanto os demais serão empossados no primeiro dia de fevereiro de 2019. Tanto no plano nacional, como no plano estadual, não sabemos ainda qual será, na prática, a filosofia imposta pelos mandatários do executivo, mas Marcos Rocha e Bolsonaro prometem austeridade, transparência e combate implacável à corrupção. Vamos precisar esperar, para avaliar se eles conseguirão seus objetivos...

LIXO POLÊMICO. Nos últimos dias tem ocorrido uma série de publicações nas redes sociais relacionadas com o serviço de coleta de lixo em Cacoal, que ficou muito ruim de uns tempos para cá. É muito estranho que, depois do aumento considerável da taxa, o serviço tenha ficado de tão má qualidade. Como a população começou a reclamar dos abusos da ausência de coleta e do péssimo cheiro que fica na cidade a empresa responsável e a administração passaram a publicar notas que tentam encontrar os culpados pelo problema, enquanto o contribuinte fica apenas com o dever de recolher a taxa, sob pena de sofrer sanções. Há os que tentam culpar a administração pela instituição da cobrança da taxa e do valor estratosférico, mas, neste caso, precisamos reconhecer que quem votou e aprovou os valores e as regras foram os vereadores. Se o Executivo tivesse enviado junto com o projeto da taxa de lixo uma proposta para a renúncia de todos os vereadores, eles jamais teriam aprovado. Ou seja, os vereadores é que decidem o que deve ou não ser aprovado como lei. A prefeita não vota! E tem gente fazendo os cálculos de quanto mais barato seria se a prefeitura contratasse garis e adquirisse caminhões suficientes para fazer a coleta ao invés de terceirizar. Dizem que o problema é que a folha da prefeitura estourou os limites para contratação de pessoal bem antes da prefeita Glaucione assumir e não tem como contratar mais. Terceirizar, que sai bem mais caro, pode! É o Brasil e suas leis! 

SAÚDE BÁSICA. Falando em matérias polêmicas, tramita no legislativo municipal uma proposta que tem como objetivo criar um novo valor para a gratificação dos médicos que atendem na rede municipal de saúde. Este projeto cria uma polêmica grande, porque outras categorias profissionais do município tiveram seus pedidos de benefícios salariais negados pela administração e questionam a razão para a mesma administração beneficiar uma categoria somente. É muito importante que as possibilidades de aumentar salários, gratificações e outros benefícios sejam discutidos amplamente com a categoria e com os dirigentes do sindicato, para que não haja nenhum tipo de discriminação. Claro que os médicos são importantes, mas não são a única categoria profissional do município.

VALDIR RAUPP. Não foi somente a ex-secretária de educação, Marli Cahulla que teve uma má notícia neste período de final de ano.  As festas de natal e virada de ano também deixarão sem sono o senador Valdir Raupp. A Procuradora  Geral da República, Raquel Dodge apresentou, esta semana, ação no Supremo Tribunal Federal, solicitando o bloqueio dos bens de cinco congressistas, entre eles o senador rondoniense. Na mesma ocasião, a PGR  pediu a abertura de ação penal contra os políticos objetivando que o STF tome todas as medidas cabíveis referentes à denúncia.  Não é a primeira vez que a Procuradoria Geral da República denúncia o senador Valdir Raupp e ele foi inocentado em outras ocasiões.  Neste caso, é necessário esperar os próximos passos da ação proposta pela PGR, para saber,  primeiramente, se ela será aceita pela Suprema Corte e quais serão as medidas adotadas.  Em todas as demais denúncias anteriores, o senador do MDB alegava inocência, o que de fato foi acatado pelo STF na ocasião. 

CONFÚCIO MOURA. O STF e a PGR estão ágeis neste final de ano, tentando colocar azeitona na empada da ceia natalina de vários políticos. Também no começo desta semana, o STF decidiu que todas as ações de políticos com prerrogativa de foro, eleitos nos estados em 07 de outubro deverão ser encaminhadas para a Suprema Corte, para serem julgadas a partir de fevereiro.  No caso de Rondônia, o senador eleito Confúcio Moura deve ser julgado pelo STF em 2019. Quanto aos governadores, quando é o caso, são julgados pelo STJ, onde possuem a prerrogativa de foro decorrente do cargo. Isso quer dizer que a ação que havia sobre Confúcio no STJ agora vai para o STF. Como será julgado pela Suprema Corte, o senador eleito Confúcio Moura tem a possibilidade de ter problemas com seu mandato, mas ainda não se pode afirmar com certeza o que pode acontecer ou quando será o julgamento.

GLAUCIONE DE FÉRIAS. A prefeita de Cacoal, Glaucione Rodrigues, encaminhou pedido de autorização para ficar afastada do mandato entre os dias 1º e 16 de janeiro. No documento endereçado ao legislativo municipal, ela informa que ficará afastada para resolver problemas de cunho particular e que poderá voltar antes do prazo previsto, caso a situação se resolva. Neste período, o vice-prefeito Elcirone Deiró assumirá o cargo. Alguns vereadores parabenizaram a atitude da prefeita em se afastar do mandato, embora não tenha sido possível entender a razão pela qual eles deram os parabéns. Alguns afirmam que é necessário um descanso pelo fato do ano ter sido muito difícil e retornar com força total. Outros disseram que ela vai se afastar no momento em que deveria ficar para ver como fica a cidade com as chuvas de janeiro.

MENSAGENS. Nas páginas desta edição, muitas mensagens de Natal e Ano Novo do maravilhoso suporte que este jornal possui, que é protagonizado pelos nossos anunciantes, para nossos leitores e para a população em geral. E desta coluna, o agradecimento a todos que estão acompanhando nosso trabalho e o desejo de um Natal mágico e um ano de 2019 de prosperidade, saúde, paz e muita felicidade!

 

Liete Alves de Sousa. Natural de Água Boa. Mãe de Mayhara,  Michelly e Moisés Junior. Avó de Matheus Henrique. Filha de Margarida também lê TRIBUNA POPULAR



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita