Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

SUMIDO x APARECIDO - COLUNA Boca Maldita

Boca Maldita - 17 de maio de 2019
Publicado em: 17 de Maio de 2019

EDUCAÇÃO EM DIFICULDADE. O Ministro da Educação, Abraham Weintraub, compareceu, nesta quarta-feira, à Câmara dos Deputados, tendo sido convocado para prestar esclarecimentos sobre os cortes de recursos anunciados pelo governo e pelo próprio ministro, no orçamento das universidades federais e os institutos federais do país. A medida causou enorme irritação em todas as regiões e quase três centenas de cidades brasileiras organizaram protestos contra a decisão do governo. Segundo o ministro, os cortes seriam feitos conforme outros governos fizeram em épocas de crises, inclusive Lula e Dilma. Pelo que se vê, as universidades mais visadas são aquelas acusadas de tolerar a baderna ou balbúrdia nas suas dependências. O ministro fez declarações e os opositores ao governo alegam que ele não apresentou nenhuma comprovação daquilo que tem acusado e dezenas de reitores cobraram do governo uma explicação para os fatos e alegam que a maior balbúrdia acontece dentro do próprio ministério da educação, porque os conflitos e desencontros ocorrem no órgão e o presidente Jair Bolsonaro precisa tomar uma medida urgentemente.

MAURO NAZIF. Esta semana, o deputado federal Mauro Nazif fez um pronunciamento que circulou em todas as redes sociais, no qual ele pede ao ministro da educação que renuncie ao cargo e afirma que o ministro tem causado prejuízos muito grandes para o Instituto Federal de Rondônia e para a educação brasileira. Na realidade, Mauro Nazif não é o único deputado irritado com o ministro e a prova disso é que o requerimento de convocação para ouvir as explicações do titular do MEC teve 307 favoráveis à aprovação, número que mostra o grau de insatisfação dos deputados em relação aos atos do ministro da educação. Vale ressaltar que apenas o PSL e o NOVO encaminharam pedidos de votação contra a convocação, situação que deixa bem clara a falta de influência do governo sobre os deputados. Nos últimos dias, o governo sofreu diversas derrotas nas votações ocorridas dentro da Câmara dos Deputados, o que pode causar um desgaste muito grande. Já se comenta nos bastidores que o Palácio do Planalto tem sugestão de criar diversos ministérios para acalmar os partidos que gostam de ficar com o governo e perderam as tetas. Não, presidente!

MANIFESTO EM CACOAL. O deputado Mauro Nazif não está sozinho ao pedir que o ministro da educação renuncie. Na última quarta-feira, milhares de estudantes em dezenas de cidades de Rondônia fizeram protestos contra as medidas do governo que cortam recursos das universidades e institutos federais. Em Cacoal, as manifestações aconteceram em dois turnos. Pela manhã, os estudantes do IFRO tiveram a adesão de muitos sindicatos e profissionais liberais e fizeram protestos nas principais avenidas do município. No período da tarde, os acadêmicos da UNIR mais uma vez fizeram protestos contra os cortes de recursos e deixaram claro que o ministro não deveria continuar no cargo. Há diversos municípios onde as instituições privadas de ensino aderiram às manifestações, revelando que o descontentamento é geral. Está complicado, afinal, no governo, explicam como é o corte na educação e não parece ser tão fora do normal numa época tão difícil de arrumar a casa e os movimentos de ruas dizem ao contrário. Está difícil de arrumar um ministro que sirva. Em menos de cinco meses já trocaram e já querem trocar o atual.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Na semana passada, a deputada federal Jaqueline Cassol participou de uma importante reunião no município de Cacoal. A reunião foi organizada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Cacoal e contou com a colaboração de diversos outros sindicatos com o Sintero, Sindicato do Trabalhadores Rurais, Sindicato do Professores de Rondônia, Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e outras categorias profissionais. A intenção da deputada, ao participar da reunião, é que ela está andando o estado e dialogando com todas as categorias de trabalhadores sobre o projeto de reforma da previdência que tramita hoje na Câmara dos Deputados. Jaqueline Cassol está correta, ao ouvir as opiniões dos trabalhadores, porque o Brasil já aprovou várias reformas onde os únicos prejudicados foram os mais pobres e os trabalhadores.

SESSÃO MATINAL. Os vereadores de Cacoal gostam mesmo de coisas polêmicas. Esta semana, sem nenhuma deliberação de plenário, ficou decidido que a sessão seria realizada na manhã de terça-feira e não na noite de segunda-feira, como está devidamente estabelecido no artigo 128 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Cacoal. Com as sessões realizadas no período da noite, a população tem tempo de sair do trabalho e acompanhar o andamento dos fatos ocorridos na Casa de Leis. Com as sessões às oito da manhã, certamente não será possível a presença da população. Quem frequenta a Câmara e conversa com vereadores e servidores da Casa sabe que o motivo de fazer a sessão pela manhã é para evitar que as pessoas participem, para impedir que as pessoas conheçam os assuntos em debate no legislativo e para fugir das críticas que as pessoas fazem, quando os vereadores tomam decisões contra a sociedade. Não existe a menor necessidade de mudar o horário da sessão. Uma covardia com a população e principalmente com aqueles que prestigiam as sessões mesmo se sujeitando as palhaçadas que por lá acostumam acontecer. Engraçado é que nenhum dos vereadores foi contra a idéia...

SUMIDO x APARECIDO. Embora não tenha havido nenhuma citação explícita de nomes, o clima esquentou na sessão do começo da semana, entre os vereadores Nilton César e Mário Moreira Jabá. Ao que tudo indica, o professor Nilton estava irritado com o colega, por ter sido cobrado, quando viajou de última hora e não participou da sessão em que seria discutido o projeto que trata do empréstimo de cinco milhões, solicitado pela prefeita Glaucione Rodrigues. Ao manifestar sua irritação o vereador Nilton declarou que havia dentro da Casa de Leis o vereador "Aparecido", aquele que, segundo ele, quer derrubar os outros para aparecer. Sem citar nomes, Jabá Moreira disse que dentro da Câmara também tinha o vereador "Sumido", aquele que some com medo de votar matérias polêmicas. Tudo indica que a briga vai continuar...

BOICOTE RURAL. O vereador Claudemar Littig (Mão) está muito revoltado com a nova Mesa Diretora da Câmara de Cacoal. Na última sessão, ele fez um duro discurso e reclamou que tem sofrido muitos boicotes, quando solicita um veículo da Casa para realizar seus trabalhos em defesa do homem do campo. Na realidade, o vereador Mão tem uma atuação de destaque em favor de todas comunidade das linhas rurais e isto não é segredo para ninguém, porque ele é um vereador muito presente no setor rural. Então é necessário que ele receba da Câmara o apoio que precisa para exercer seu mandato. As diferenças políticas entre os vereadores não podem interferir na atuação individual dos membros da Casa, porque, assim, a população será prejudicada. E olha que é difícil de ver vereadores na área rural, tendo moradores afirmado que muitos só passam por lá de quatro em quatro anos, ou seja, na nova campanha.  Temos uma sugestão: neste final de semana começa a Taça Padre Ezequiel Ramin, criada em 2001pelo professor Adão Wenzel do Nascimento para contemplar o homem do campo com a prática do esporte. Que tal, vereadores, darem uma aparecidinha nos campos onde haverão jogos? O Mão, com certeza, marcará presença.

OPERAÇÃO FEUDO. O vereador Jabá Moreira trouxe à baila um assunto muito delicado e que possui relação com o setor de licitação da prefeitura de Cacoal. Ele argumentou que desde a realização da Operação Feudo, que prendeu várias pessoas em Cacoal, a chefe da licitação da administração está desaparecida. Jabá lembrou que é a mesma pessoa que chefiava o setor de licitação em Ministro Andreazza, no período em que foi formalizado o contrato da obra que provocou a operação. Agora, precisamos saber se a servidora foi exonerada, ou se está de férias, mas segundo o vereador esta semana outra pessoa assumiu o cargo.

UPA, AGORA VAI!!! Esta semana, diversas autoridades municipais participaram de uma reunião com o Conselho Municipal de Saúde, ocasião em que discutiram sobre a possibilidade de abertura da Unidade de Pronto Atendimento de Cacoal, no antigo Sesp. Não cabe mais a ideia de falar em inauguração,  porque já passaram cerca de três anos da data marcada para inaugurar a UPA. Dessa vez, o deputado Adailton Fúria está envolvido nas discussões e garante que agora vai! Como o deputado pertence à Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Rondônia, espera-se que os procedimentos realmente venham a se concretizar. Pelas informações que temos,  o grande problema seria a falta de pessoal técnico para trabalhar na UPA, mas não parece ser tão simples a situação administrativa. Por enquanto, a população do município vai ficando apenas com a possibilidade de ser atendida no HEURO, unidade de saúde estadual que atende pessoas de todas as cidades da região. Realmente é necessário que alguma medida seja tomada com urgência. Essa situação vem se arrastando há tempo e como precisa de pessoal prá trabalhar e dizem que a folha já vinha sobrecarregada desde  administrações anteriores e não comporta mais contratações, como realmente vai ficar?

SÓ LEMBRANDO: Neste domingo, 19,  no Parque de Exposições, haverá o Leilão em prol do Hospital São Daniel Comboni,. em combate o câncer. Haverá almoço e outras atrações. Informações: 69.98471. 6629 – 98486.4866.
 

O ODONTÓLOGO Alejandro Velasco, servidor público federal e professor, natural de Presidente Prudente-SP, que reside em Cacoal desde 1986, esposo da psicóloga Jéssica Velasco, pai da Nayara, Inara, do Alejandro Júnior e do Juan Francisco, ex- presidente do Rotary Club de Cacoal, palmeirense, também lê TRIBUNA POPULAR e acessa o www.tribunapopular.com.br


Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita