Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

CÂMARA X RODOVIÁRIA.

Boca - Maldita de 09 de agosto de 2019
Publicado em: 09 de Agosto de 2019

CÂMARA X...

CÂMARA X RODOVIÁRIA. A Câmara Municipal de Cacoal voltou de um longo período de recesso na última segunda-feira, quando foi realizada a primeira sessão ordinária do semestre. Na ocasião, foi divulgada uma informação que deixou muitos contribuintes irritados. O Poder Legislativo municipal está tomando as últimas medidas para fazer uma reforma na Casa de Leis, que custará aproximadamente 900 mil reais. Isto mesmo! Quase um milhão de reais. Vale ressaltar que a Câmara tem boas instalações, todos os setores possuem refrigeração, não tem goteira e tudo funciona muito bem. Para que se tenha uma ideia, foram liberados R$ 260.000,00, sugeridos por emenda do deputado Expedito Neto, para a construção de um terminal rodoviária em Riozinho. Ou seja, onde não existe nenhuma obra, a construção de uma rodoviária custará quase quatro vezes menos do que uma simples reforma na Câmara. Vai entender... Precisa disso? Se fosse para falar em construir um prédio novo  para a prefeitura, concordaríamos, afinal, o atual prédio da Câmara é muito superior ao da prefeitura! Vamos inverter isso, gente! A prefeitura deve ser um cartão de visita do município! E já que falamos em rodoviária, que tal os vereadores se unirem e junto a bancada federal e estadual, brigar por uma rodoviária interestadual mais digna? A rodoviária de Cacoal é uma vergonha e não o prédio da Câmara!

DEFENSORIA PÚBLICA. Já que estamos falando em edificações, o Tribunal de Contas de Rondônia tomou uma atitude muito positiva em favor da população de Cacoal. A questão é que a Corte de Contas resolveu ceder para a Defensoria Pública o prédio onde funcionava o TCE no município de Cacoal. Com certeza, uma decisão muito acertada, porque o local oferece muito mais comodidade para quem trabalha e para quem precisa de atendimento, uma vez que oferece boa estrutura. Além disso, os servidores da Defensoria Pública de Rondônia lotados em Cacoal sofrem muito com as mudanças que precisam fazer quando devolvem os prédios alugados. Esperamos que as instalações da nossa defensoria fiquem um longo tempo no novo endereço. O prédio onde funcionava o Tribunal de Contas é na avenida Cuiabá, nas proximidades da Facimed e parabéns a todos da Defensoria e ao TCE se a idéia for transformada em realidade.

MUDANÇAS NA SAÚDE. Quando o ex-prefeito Franco Vialeto estava à frente da Administração Municipal de Cacoal, ele trocou o secretário de saúde quase 20 vezes. Naquele tempo, muitas pessoas acreditavam que, com uma nova administração, este hábito virasse coisa do passado. Mas não é bem assim. A prefeita Glaucione Rodrigues já trocou o secretário da pasta por diversas vezes e talvez muita gente nem se lembre mais quantos secretários de saúde tivemos nesses dois anos e meio. Essas constantes mudanças certamente comprometem o bom funcionamento do setor de saúde, porque impedem que haja a continuidade das ações, fato que pode causar prejuízos para os usuários do sistema. É importante que setores tão sensíveis como este tenham nas pastas titulares que permaneçam por mais tempo, objetivando que os trabalhos não sejam interrompidos. Até a relação com autoridades estaduais e federais fica comprometida. 

EDUCAÇÃO E POLÍTICA. A vereadora Maria Simões talvez seja a única pessoa entre os vereadores que formam a base da prefeita Glaucione Rodrigues que foi eleita fazendo campanha contra a ex-deputada. Curiosamente, ela foi escolhida pela prefeita para ser lider na Casa de Leis, fato comum na política, mas muito estranho para quem conhece as opiniões dos vereadores antes e depois da eleição. Na última segunda-feira, a vereadora fez um discurso muito emocionante em defesa da prefeita e disse que, na história de Cacoal, nunca um prefeito ou prefeita tratou a educação tão bem. Não há nenhum crime no fato de um vereador defender a prefeita, mas as coisas não são bem assim. Alguém precisa avisar para a vereadora Maria Simões que todas as conquistas que os servidores municipais tiveram na gestão atual foram resultantes de decisões judiciais, entre elas o piso salarial dos professores. Certamente os professores de Cacoal não concordam com o discurso da vereadora. 

JOSÉ DE ALMEIDA. Apesar do discurso da vereadora Maria Simões, afirmando que a educação municipal está mil maravilhas, os fatos dizem outra coisa. Basta observar que o município até hoje não resolveu o problema da escola José de Almeida e os alunos matriculados na escola foram levados para outro lugar. Aliás, o aluguel do local que abriga os alunos da escola José de Almeida custa 45 mil reais, por mês, para os contribuintes de Cacoal e talvez a vereadora Maria Simões não saiba disso. É verdade que a reforma da citada escola foi feita na gestão do ex-prefeito Franco Vialeto e realmente o resultado ficou péssimo. A escola não tem como funcionar com a reforma que foi feita. Mas a administração atual do município já tem mais de dois anos e meio. Neste período uma reforma de verdade já poderia ter sido feita na principal escola municipal. Caso a vereadora Maria Simões fizesse o discurso que fez na câmara para os alunos da “Escolinha do Professor Raimundo”, ela provavelmente ouviria deles aquela frase: “Menos, Seo Batista!”

DINHEIRO SOBRANDO. Quem acompanha as sessões da Câmara Municipal de Cacoal sabe que os vereadores falam todas as segundas que defendem o povo, que representam o povo e que amam a cidade. Quando o assunto é agricultura, eles chegam a brigar para ver quem é realmente o representante deste importante setor. O curioso é que nos últimos dias, o município de Cacoal teve que devolver quase 130 mil reais do programa FITHA, porque não foram aplicados. Os recursos deveriam ter sido empregados na recuperação de estradas vicinais, mas acabaram voltando. Os vereadores que mais falam que amam o setor rural e querem a limpeza e pavimentação das estradas rurais ficaram caladinhos e não explicaram por que os valores foram devolvidos. Não dá para dizer que a devolução aconteceu porque os recursos são desnecessários, que o município não precise. Com a palavra os vereadores...

REVOLUÇÃO NO RIOZINHO. A população do Riozinho chegou a comemorar, quando as máquinas da secretaria de obras chegaram ao local, no mês de julho. A promessa feita pela prefeita era de que o Riozinho teria uma revolução com limpeza total, operação tapa-buracos e pavimentação de vias públicas. Esta semana, diversas pessoas que moram no Riozinho afirmaram que as coisas não estão como foram ditas e que as máquinas estão voltando para a secretaria e vão atender outros bairros. Realmente fica muito difícil acreditar que depois de vários anos de total abandono, o Riozinho seria reconstruído em dez dias. Não há tempo suficiente para isso. É possível que as coisas tenham acontecido sem o devido planejamento, porque as máquinas precisavam ficar por mais tempo no local. O Riozinho não pode ser tratado como periferia, porque as pessoas que vivem naquele bairro pagam os mesmos impostos que as demais. É preciso que as autoridades entendam isso e passem a agir como a população merece. 

CACOAL OU ARIPUANÃ. As pessoas que estavam no plenário da Câmara Municipal de Cacoal na última segunda-feira, ou aquelas que acompanham a sessão pelos meios tecnológicos, até hoje não entenderam a atitude do vereador Valdomiro Corá. Ele subiu à tribuna e fez diversas críticas contra os políticos da esfera federal, alegando que eles criam muitas dificuldades e impedem os mais pobres de trabalhar para ganhar a vida. Na ocasião, ele também repetiu algo que repete em todas as sessões: disse que foi eleito para defender o povo. O curioso é que a bronca toda do vereador Corazinho tem como principal motivo o fato de ele ter ido ao estado do Mato Grosso e ter visto madeireiros reclamando de perseguições. O vereador passou um longo tempo na tribuna defendendo os madeireiros de Aripuanã (MT), enquanto Cacoal vive muitos problemas. Em vez de procurar solução para os problemas do Mato Grosso, o vereador Corazinho deveria dar uma volta nos bairros de Cacoal e que ficam distante do centro. Quem sabe ele encontre motivo para defender os eleitores da cidade que o elegeu. A não ser que estava defendendo os madeireiros de Cacoal e região por tabela. Pode ser.

JOGO ELEITORAL. Nos bastidores políticos de Cacoal, há muitos pré-candidatos ao cargo de vereador/vereadora que estão se movimentando para disputar as eleições e buscam partidos que possam atender seus propósitos. O curioso é que muitas dessas pessoas avaliam a possibilidade de fazer a filiação no PSL, sigla que abriga atualmente o governador de Rondônia e o presidente Jair Bolsonaro. Na cabeça dessas pessoas deve passar a ideia de que a “Onda Bolsonaro” vai eleger todas elas e o legislativo cacoalense terá 12 vereadores/vereadoras do PSL. As coisas não são bem assim. Com as novas regras eleitorais, entre elas o fim das coligações proporcionais, o jogo será muito diferente em 2020. As mudanças podem inclusive favorecer partidos como PT, PSDB, DEM e outras siglas que hoje não possuem cadeira na Câmara de Cacoal. Com as novas regras, dificilmente algum partido terá mais de duas cadeiras, como aconteceu em 2016 com o MDB. Naquela ocasião quatro vereadores foram eleitos pelo partido, se considerarmos que o vereador Corazinho é filiado ao PV, que, em Cacoal, é uma sublegenda do MDB.

LEGISLANDO COM A BÍBLIA. Na última segunda-feira, diversas pessoas reclamaram da conduta da Mesa Diretora da Câmara de Cacoal, por causa de um assunto que tem acontecido com muita frequência. Tornou-se um hábito dos vereadores levar, todas as semanas, algum líder religioso para usar a tribuna e fazer cultos na sessão ordinária. Claro que nenhuma pessoa é inimiga das religiões e até podemos dizer que as religiões são importantes para a humanidade. Entretanto, esse hábito de promover cultos religiosos durante as sessões nada tem a ver com as atribuições do Poder Legislativo. O que a Câmara tem a obrigação de fazer é criar leis, discutir projetos e apresentar soluções para os problemas administrativos do município. Os vereadores têm todo o direito de ter suas religiões e defenderem suas crenças, mas isto não que dizer que deve ter culto durante as sessões. Como os vereadores realizam sessões somente às segundas-feiras, eles deveriam frequentar suas igrejas nos demais dias. Fica a sugestão e lembramos que teve gente falando que foi lá para assistir a sessão e ver o que cada vereador tinha de importante para Cacoal.

DIA DO ADVOGADO. Neste domingo, dia 11 de agosto, é comemorado no calendário brasileiro o Dia do Advogado. Por este motivo, registramos nossos cumprimentos a todas as advogadas e advogados do nosso município de Cacoal e também do estado de Rondônia, registrando que esses profissionais são fundamentais na promoção de justiça e cidadania. Como está estabelecido na legislação, os advogados são imprescindíveis para a administração da justiça, ou seja, sem eles, não é possível fazer a justiça. A coluna parabeniza todos os profissionais deste campo e deseja sucesso no desempenho de suas funções, para o que nosso país possa crescer e promover a justiça e a defesa dos interesses da sociedade.

 

A MARIANA ALMEIDA DE SOUZA, linda menina que nasceu em Cacoal no dia 22 de fevereiro de 2006, aluna da escola Honorina Lucas de Brito, assim como toda sua família, pais Claudemiro de Souza, o popular Miro e Alzenira e o irmão Rafael, todos gremistas, consideram  o jornal TRIBUNA POPULAR o mais querido do interior de Rondônia  e todos lêem Tribuna Popular e www.tribunapopular.com.br. Obrigado linda Família!!!!!



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita