Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Boca Maldita de 05 de abril de 2019

Boca Maldita de 05 de abril de 2019
Publicado em: 05 de Abril de 2019

REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Na última quarta-feira, o ministro da Economia Paulo Guedes esteve na Câmara dos Deputados onde participou de uma audiência com os membros da Comissão de Constituição e Justiça. Na ocasião houve muita polêmica, porque o ministro foi cobrado sobre pontos do projeto considerados absurdos pelos trabalhadores e pelos deputados da oposição, em numero de 16, dos 24 componentes da CCJ. A oposição, com suas perguntas irritou o ministro e a confusão ficou grande. O ministro da economia bateu boca com vários deputados e resolveu deixar o local, porém, antes, até indagou por qual motivo a oposição ficou tanto tempo no poder e não resolveu inúmeros problemas, mas deu dinheiro para tantos poderosos, como o JBS. Mudanças para todos devem ter na proposta. Só para poderosos seria uma injustiça e uma comparação, é ver o ex-presidente Michel Temer encaminhando um documento ao juiz Marcelo Bretas, solicitando que o juiz autorize a liberação mensal de 111 mil reais de suas contas bloqueadas, porque ele precisa manter a família dele. Temer afirma que esse valor é básico.

PROCESSO DE IMPEACHMENT. O governador Marcos Rocha tomou posse dando sinais de que iria impor suas ideias e opiniões aos deputados estaduais. Em alguns eventos, ele chegou a declarar que não faria nenhuma nomeação com base em sugestões ou pedidos de deputados. Claro que isso foi apenas na primeira semana. Após alguns dias de mandato, ele nomeou diversas pessoas da sua família e da família de alguns deputados. Além disso, não permitiu que deputados ditos opositores dessem opinião sobre nomeações de presidentes ou diretores de autarquias e fundações. Entretanto, no começo desta semana (01/04), o advogado Caetano Netto apresentou e protocolou na Presidência da Assembleia Legislativa um pedido de impeachment contra o governador e alegou diversos motivos para o afastamento do coronel. Talvez o governador tenha imaginado que a história era fakenews, porque o pedido de afastamento foi protocolado no Dia da Mentira, mas um dia depois a correria foi grande nos corredores do Palácio Rio Madeira. Certamente, a partir deste fato, Marcos Rocha vai entender como funciona a Assembleia Legislativa. Será que estão tão mal assessorado?

MOTIVO DO IMPEACHMENT. Os motivos alegados pelo autor do pedido para fazer o impeachment do governador são muito claros e estão devidamente colocados na no Artigo 5º da Constituição Federal e no Artigo 11 da Constituição Estadual, no parágrafo 7º. Segundo o texto constitucional, os Presidentes e Diretores de autarquias e fundações devem ser escolhidos pelo governador e nomeados, mediante a aprovação da maioria absoluta dos deputados. Em Rondônia existem várias fundações e autarquias, como é o caso do Detran. Nenhuma das pessoas nomeadas pelo governador foram aprovadas pela Assembleia Legislativa. É importante ressaltar que a ex-presidente Dilma Rousseff teve seu impeachment aprovado sem haver nenhum dispositivo expresso sobre os fatos alegados. No caso de Rondônia e da denúncia apresentada pelo advogado Caetanto Netto, os motivos estão claramente expressos. Logicamente que não é possível afirmar como será o resultado, mas uma coisa podemos afirmar com toda certeza: a relação entre o governador e os deputados, após a entrada desse pedido na Casa de Leis do estado será muito diferente.

ALIADOS DO GOVERNO. A reação de alguns deputados, quando o pedido de impeachment chegou à ALE, foi muito curiosa. O Eyder Brasil, eleito pelo partido do governador e nomeado líder do governo na Casa, declarou que espera uma tramitação transparente do processo e que haja seriedade. Isso mostra que o líder do governo reconhece a gravidade da denúncia e o problema que se instalou. Estranhamente, o único deputado que saiu em defesa do governador foi Anderson Pereira (PROS), ex-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, que poucos dias atrás fazia dura oposição contra o governo. Não há como dizer que ele defende o governo porque os problemas dos agentes penitenciários foram resolvidos. Não foram! Nenhuma reivindicação da categoria foi atendida. O deputado Anderson Pereira teve uma atitude muito estranha sobre a denúncia do impeachment. O processo ainda não foi aberto, as denúncias são graves, nenhuma explicação foi dada pelo Executivo e o deputado já declarou que é contra o processo e que seu voto será contra. Nenhum deputado ligado ao governo teve a mesma posição. Que coisa estranha!!

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS. Em Cacoal, a situação política tem sido protagonizada pelas atitudes da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Este ano, aconteceram, até o presente momento, 07 sessões ordinárias. Dessas sessões, em 04 ocasiões o presidente da Câmara decidiu suspender a sessão, por falta de condições para conduzir as atividades. Alguns vereadores alegam que o presidente da Casa, vereador Valdomiro Corá, não reúne as condições necessárias para presidir a Casa de Leis da Capital do Café. Há fortes rumores de que um dos membros da Mesa Diretora costuma ingerir bebidas alcoólicas antes das sessões. Nossa equipe não tem o nome do vereador que teria bebido, mas estamos trabalhando para ter a informação e passar aos leitores. Na sessão de segunda-feira, o vereador Jabá Moreira sugeriu que o presidente Valdomiro Corá passe a frequentar as reuniões dos Alcoólicos Anônimos, entidade que realmente tem excelente trabalho na recuperação de pessoas, mas não sabemos se Corazinho tem o hábito de beber.

CORAZINHO ENCERRA A SESSÃO. Enquanto o vereador Jabá Moreira usava a tribuna da Casa de Leis, o presidente Corazinho, irritado com as críticas que o vereador fazia sobre a administração, resolveu determinar à assessoria da Câmara que cortasse o microfone do colega, antes mesmo que ele utilizasse seu tempo regimental. Assim, Jabá Moreira informou que continuaria na tribuna até que a Mesa concedesse a ele o direito de usar seu tempo, como os demais vereadores. Todos os vereadores que usaram a palavra antes ultrapassaram os dez minutos regimentais, mas o presidente decidiu que Jabá não usaria os dez minutos. Esse tipo de situação revela a falta de calma e desenvoltura do nosso presidente e isto não pode continuar acontecendo na cidade. Inúmeras pessoas que se deslocaram de suas casas para assistir aos debates tiveram que voltar para casa sem saber o que seria discutido ou votado na sessão. É realmente lamentável que isto ocorra em Cacoal, pois a população não merece e muitas coisas que precisam ser feitas vão ficando para trás, por causa dessa forma de conduzir a câmara. Que coisa feia para Cacoal, que nunca antes foi assim!!!

HOMENAGEM À VERDADE. Como a sessão da última segunda-feira ocorreu no dia 01 de abril, o vereador Jabá Moreira aproveitou para registrar, nos poucos minutos que o presidente deixou que ele usasse a tribuna, que a prefeita deveria buscar adotar a verdade como marca da administração, segundo Jabá Moreira (não é a posição da Tribuna Popular), a prefeita não prefere inverdades apenas em primeiro de abril. O vereador declarou que ela fala mentiras durante 365 dias do ano e que isto está evidente em diversos atos da administração. O vereador citou como exemplo a situação envolvendo diversos veículos e máquinas que estão inutilizadas no pátio da Secretaria de Obras. Na ocasião, Jabá chegou a mostrar algumas fotos de veículos que eram utilizados no período em que ele foi secretário e que hoje estão danificados por falta de manutenção. Alguns criticavam Jaba, dizendo que nos oito anos de Franco Vialetto, em situações difíceis ou semelhantes e até buracos daquela época ainda existem hoje, ele não era critico e concordava com tudo o que havia de errado na administração. Hoje só sabe criticar.

PROJETO HABITACIONAL. Pelas informações que circulam em Cacoal, o projeto de construção de 300 casas populares, anunciado pela administração, pode enfrentar problemas antes da conclusão da primeira parte da obra. A questão é que a empresa contratada para executar a obra teria demitido dezenas de trabalhadores, nos primeiros dias da construção das casas. Este projeto, que faz parte do Programa “Minha Casa Minha Vida”, certamente vai ajudar muitas famílias cacoalenses e é muito importante que ele seja concluído. Claro que a empresa vai explicar as razões das demissões, se realmente ocorreram e vai encaminhar as coisas como devem ser feitas.     Outra preocupação é que mais de 4.800 famílias se inscreveram para obter sua casinha. Será tanta gente assim sem moradia em Cacoal? Só mais uma coisinha: Houve-se muito por ai de que cada vereador, nos dois últimos projetos de distribuição de casas, tinha direito a uma cota de casas para indicar pessoas que necessitavam das mesmas. Queira nosso protetor divino que seja só conversa fiada, mas dentro dessas generosidades necessárias, ouvimos que houve o beneficio ofertado pior um deles, mas só dentro de certas condições... Que seja mentira!
 
ELEIÇÕES 2020. Na semana passada, aconteceu uma grande reunião em Cacoal onde o assunto discutido foi sobre a eleição de 2020. Na ocasião nenhum nome ficou estabelecido como a pessoa que vai liderar o grupo e formar chapa para a disputa municipal, mas diversas possibilidades foram colocadas na mesa. Entre os presentes, ninguém tentou impor seu nome e ficou claro que tudo vai depender de uma constante avaliação, até que chegue o momento para tomar decisões. As pessoas que fizeram parte da conversa apresentaram seus motivos para não se juntarem ao grupo liderado pela prefeita Glaucione Rodrigues e tudo leva a crer que dificilmente uma das pessoas que estavam naquela reunião irão mudar de posição, já que são motivos bem conhecidos. Além dos nomes que estavam na ocasião, outros bons nomes da cidade foram citados e já informaram que estarão presentes em outras reuniões. Não é a primeira vez que este grupo se reúne e cada vez aparecem mais lideranças. Só não entendemos uma coisa: Esse jornal com quase 39 anos de existência, que acompanhou passo a passo Cacoal e seu desenvolvimento, não foi convidado e nem tem idéia de quem são essas lideranças. Claro que a modernidade chegou e talvez seja por isso, mas TRIBUNA POPULAR está se adequando. Falar nisso, nossa TRIBUNA POPULAR online é: www.tribunapopular.com.br. Além disso, procure-nos no Instagran e Facebook... Por lá também damos o ar da graça!

 

O BONIFÁCIO FERNANDES, ex-servidor do município e hoje um cidadão que ajuda a transportar o progresso, esposo da professora Carmem, pai do Henrique e da Patrícia e avô da Maria Clara, do Lucas e do Matheus, corintiano, que reside em Cacoal desde 1982, que gosta de assar um churrasco e metido a mestre-cuca prepara pratos especiais para dar descanso à sua rainha do lar e a todos os citados acima, mais genro e nora, assinante vitalício de TRIBUNA POPULAR, que quando o entregador não coloca seus cães para latir até às 06:00hs de sexta-feira, faz o telefone do Adair Perin ou Tales fazer barulho, continua lendo TRIBUNA POPULAR e agora, metido e modernizado, do seu smartphone acessa o  tribunapopular.com.br de onde estiver para saber sobre nossa terrinha. Obrigado, Bonifácio!



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita