Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Boca Maldita - 25 de janeiro de 2019

Publicado em: 25 de Janeiro de 2019

BRASIL x VENEZUELA - A crise política da Venezuela ainda não tinha ferido, na prática, as relações do país com o Brasil. Porém, a decisão do governo brasileiro de reconhecer Juan Guaidó como  legítimo presidente venezuelano vai criar uma série de problemas para o Brasil.  Talvez Jair Bolsonaro tenha tomado essa decisão apenas para agradar o governo dos Estados Unidos, mas as consequências podem ser muito graves.

BRASIL x USA - Muitas pessoas não sabem que a Venezuela está entre os cinco principais produtores de petróleo do mundo. Aliás, os Estados Unidos já invadiram três países desta restrita lista. Iraque, Kwait e Afeganistão já foram vítimas da invasão americana. Analistas acreditam que o governo americano não tenha coragem de invadir a Arábia Saudita, em função da potência bélica do país. Neste caso, a Venezuela seria a próxima vítima. O Brasil pode ter dado um grande passo para provocar uma guerra.

PRESSÃO LEGISLATIVA - O nome do senador Flávio Bolsonaro tem sido citado diariamente, relacionado a fatos que certamente serão muito explorados com muito mais intensidade depois do dia da posse dos deputados e senadores, no dia primeiro de janeiro. Até este momento ele tem fugido da imprensa e se recusado a falar de algumas situações, principalmente sobre suposta ligação do seu gabinete na Assembleia do Rio de Janeiro com integrantes das milícias do estado. A partir da posse, o filho do presidente da república certamente será cobrado por senadores da oposição e até mesmo por aliados, pressionados pela força das redes sociais. Os aliados mais próximos de Jair Bolsonaro têm tentado minimizar o assunto, dizendo que não há relação com o governo, mas as manifestações nas redes sociais são de indignação de muitos eleitores de Bolsonaro.

PROBLEMA DO COAF  - Quando o ministro Sérgio Moro e o presidente Jair Bolsonaro decidiram baixar o decreto que proíbe todos os servidores do COAF de passar informações  sobre movimentações financeiras atípicas, eles imaginavam que estaria sob o controle do governo a situação política dos fatos envolvendo o filho do presidente e o motorista Fabricio Queiroz. Entretanto, a cada dia surge um novo capítulo e o decreto não tem surtido o menor efeito para encerrar o caso.  Politicamente, a medida abalou a imagem de justiceiro do ministro e a imagem de transparência do presidente. 

DEPUTADOS ESTADUAIS - A relação do governador Marcos Rocha com os deputados estaduais pode criar uma série de problemas já nos primeiros dias do ano.  A principal razão talvez esteja na falta de habilidade política do governador, uma vez que ele desconhece completamente como funcionam os poderes, principalmente nos bastidores.  Ao tentar atropelar os deputados e impor suas decisões, Marcos Rocha pode instalar uma crise política na qual ele teria inúmeras dores de cabeça. 

PRESIDÊNCIA DA ALE - Como a posse dos deputados está prevista para o dia 01 de fevereiro, nesta data teremos uma dimensão mais clara daquilo que vem acontecendo nos bastidores, porque todos os deputados eleitos e reeleitos participam diariamente de reuniões e conversas sobre a eleição do presidente da ALE. Por outro lado, o governador tenta eleger para o cargo o único deputado eleito por seu partido, o sargento Eyder Brasil  (PSL). O grupo que se opõe ao governo é formado por deputados com muita experiência política. 

MARKETEIRO LUNÁTICO - MFalando em governador, nos últimos dias, surgiu em Cacoal um moço que se autodenomina o principal responsável pela eleição do coronel Marcos Rocha ao Executivo estadual. Segundo o que ele declara nas redes sociais, o fato aconteceu porque ele estava irritado com o sistema político de Rondônia e resolveu eleger um nome diferente. Não sabemos se o rapaz é realmente profissional de marketing e nem sabemos se o coronel Marcos Rocha conhece o rapaz, mas ele afirma que, sem ele, o governador não iria além de comer uma tapioca no Mercado do K1 em Porto Velho. 

ABAIXO ASSINADO - No cenário municipal de Cacoal,  podemos avaliar que a volta dos vereadores, após o longo recesso, será marcada por alguns fatos que podem agitar os bastidores. Um grupo de pessoas insatisfeitas com a administração trabalha colhendo assinaturas que serviriam para fortalecer um pedido de afastamento da prefeita Glaucione Rodrigues. Ainda não temos informações sobre quais seriam as razões jurídicas específicas para o pedido, embora muitas pessoas tenham assinado a lista. Assim que tivermos dados mais concretos, vamos registrar aqui na coluna. 

COMISSÕES PERMANENTES O fato de ter o cunhado como presidente da Câmara de Cacoal pode parecer,  para algumas pessoas,  que está tudo bem e tudo  certo com a administração. Mas as coisas não são bem assim. Caso a administração não tenha um bom relacionamento com as comissões permanentes, a prefeita pode ter muitas dores de cabeça. Talvez tenha sido por isso que a administração trabalhou para colocar na Comissão de Finanças um presidente do grupo da prefeita. O nome escolhido foi o vereador Professor Nilton, que foi convencido pela vereadora Maria Simões, líder da prefeita. 

TRANSPORTE PÚBLICO - Após o surgimento do transporte por aplicativo em automóveis e motocicletas, Cacoal tem mais uma novidade no transporte de pessoas. A Associação de Mototaxistas do município criou o sistema de solicitação de mototaxi via Whatsapp. Certamente que a medida facilita a vida do usuário e mostra a vontade de atender bem por parte dos profissionais.  Segundo o presidente da categoria, inicialmente as solicitações de mototaxi via whatsapp atenderão apenas mensagens de textos.

 

O paulista Pedro Paulo Martins, profissional de Marketing há 20 anos e há oito meses em Cacoal como gerente de Marketing da Unesc,  desde que chegou à "Capital do Café"  TAMBÉM LÊ TRIBUNA POPULAR



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita