Boca Maldita
Boca Maldita

Coluna

Boca Maldita - 14 de junho de 2019

Boca Maldita - 14 de junho de 2019
Publicado em: 14 de Junho de 2019

OMISSÃO LEGISLATIVA. Na sessão realizada no começo desta semana, o presidente da Câmara Municipal de Cacoal, vereador Valdomiro Corá, anunciou que a Mesa Diretora da Casa decidiu não apurar os fatos ocorridos no dia 04 de junho nas dependências da Câmara Municipal, ocasião em que o vereador Mário Angelino Moreira, o Jabá, alega ter sido agredido pelo vereador Rogério Chagas e pelo irmão do vereador. Diferente da conduta adotada pela Casa de Leis, que optou por abafar o caso, a legislação prevê que este tipo de fato deve ser apurado sim. Alguns vereadores argumentaram que são a favor de abafar o caso, porque não querem se desgastar nos debates sobre o problema. Neste caso, há dois caminhos para evitar o desgaste: não ser candidato ou renunciar ao mandato. Os vereadores têm a obrigação de apurar os fatos ocorridos dentro da Câmara. Não se trata de decidir apurar ou não. Mais uma vez, a Câmara de Cacoal demonstra falta de compromisso com a população. A coluna não tem interesse em ficar de lado A ou lado B, mas temos a obrigação de cobrar a apuração de todos os fatos como este. A Câmara de Cacoal cometeu um grave crime de omissão. Os que querem abafar o caso serão os mesmos que nada fizeram para evitar que o circo pegasse fogo? 

VÍCIOS POLÍTICOS. Essa decisão tomada pela Câmara de Cacoal ignora completamente a legislação brasileira e cria vícios que tornam o legislativo municipal cada vez mais sem credibilidade. Diversos vereadores que contribuíram para abafar o caso de agressão dentro da Câmara argumentaram que tomaram tal decisão, mas que não aceitarão outros casos de condutas que ferem o decoro do mandato. Este argumento não se sustenta, porque a população de Cacoal sabe que desde o começo deste ano, diversos problemas de quebra de decoro aconteceram dentro da Casa. O argumento de que este será o último também não tem a menor consistência, porque logo após a reunião em que os vereadores decidiram abafar o caso, diversos problemas voltaram a acontecer. Para o legislador brasileiro, as punições previstas na lei servem para impedir que novos fatos aconteçam. Para os vereadores de Cacoal, o melhor caminho é esconder os fatos e não apurar nada. Como o caso foi abafado, todos os outros vereadores podem brigar dentro da Câmara, porque a Casa não tem interesse em apurar. Vai entender essa prática!

POLÍTICA UMBILICAL. Desde que foi protocolado na Assembleia Legislativa um pedido de cassação do governador Marcos Rocha, diversos deputados estaduais tem buscado emplacar nomes de cabos eleitorais no governo, pegando carona na necessidade que o governo vai ter para negociar o arquivamento do processo. Assim, o cargo de Residente do Departamento de Estradas e Rodagens de Cacoal parece ter sido objeto desta prática. Alex Brasilino Reis foi demitido no começo deste mês e em seu lugar foi nomeado Emiliano Mancuso, irmão do ex-vereador Paty Paulista. Após a demissão do chefe anterior, diversos vereadores e outros políticos se manifestaram sobre o assunto. Alguns entendem que não deveria ter a mudança; outros entendem que somente agora Cacoal terá um bom atendimento do governo. Nesta briga pelo poder, diversas rodovias importantes para a população rural e urbana de Cacoal podem sofrer as consequências, porque o período invernoso não demora para iniciar. Na realidade, essa briga também revela que alguns políticos de Cacoal têm amor apenas pelo próprio umbigo e não estão preocupados com outra coisa que não seja suas campanhas. Mas, fica aqui o voto de sucesso ao Emiliano.

BARRACO NA CAPITAL. No dia 11 de junho, às vésperas do dia dos namorados, um deputado estadual de Rondônia se envolveu em uma situação bem delicada na capital do estado. Segundo apuramos, o deputado estava em uma boate LGBT, acompanhado de um rapaz muito bonito, quando foi flagrado pela esposa. Algumas pessoas que estavam no local, garantem que a esposa do deputado fez um barraco muito grande, chegando a danificar o carro do rapaz que acompanhava o deputado. Claro que as coisas foram arrumadas, para evitar a exposição de todos os envolvidos e o problema não foi levado para a delegacia. Entretanto, em todos os corredores da Assembleia Legislativa os comentários continuam até hoje. 

DESBRAVADORES. A partir da próxima quarta-feira, dia 19, Cacoal receberá centenas de jovens da Igreja Adventista. Os Desbravadores, como são conhecidos na doutrina da igreja, estarão durante vários dias na Capital do Café e participarão de palestras, cursos, pit stops e diversas outras atividades cuja finalidade é conscientizar a sociedade sobre diversos temas importantes, como a educação no trânsito, o respeito aos idosos, os cuidados com a saúde e outros. Vale ressaltar que farão parte do evento jovens de toda a região central do estado, ocasião em que haverá uma constante troca de informações úteis com a juventude cacoalense. Além disso, hotéis, restaurantes e demais empresas que compõem a sólida estrutura da cidade serão diretamente beneficiadas com o evento. 

TRIBUNAL DE CONTAS. O Tribunal de Contas de Rondônia tomou uma importante decisão nos últimos dias. A Corte de Contas do estado vai abrir mão de valores que somam aproximadamente 50 milhões de reais para o orçamento do TCE em favor da construção de uma nova estrutura hospitalar na capital do estado. Segundo as informações que temos os recursos seriam utilizados para ampliação e modernização das instalações do Tribunal de Contas de Rondônia, porém seus conselheiros decidiram que a prioridade é a construção de unidades hospitalares. Neste caso, o TCE é merecedor de elogios, porque a estrutura do Hospital João Paulo II é de fazer vergonha a qualquer país cuja população está em guerra civil. É lamentável a quantidade de pessoas jogadas nos corredores e até na garagem do JPII. Com certeza, os recursos liberados pelo Tribunal de Contas serão muito importante para dar à população do estado e principalmente da capital a dignidade que o povo merece. Coincidentemente, tal iniciativa,  surgiu depois que um renomado  médico, muito ligado aos problemas da saúde do Estado, em rede de rádio dizia que para construir caríssimos prédios para o Governo, para  a Ale, para o MP, para... havia dinheiro mas para construir um novo João Paulo, não havia. De qualquer forma, parabéns ao TCE!!!

BOLA NAS COSTAS. Em diversas rodas de conversas que acontecem em Cacoal, diversas pessoas comentam que o clube da cidade, União Cacoalense, tem duas torcidas. Segundo a teoria, uma torcida é aquela que comparece aos jogos, torce, sofre e apoia o time, todas as vezes que participa de uma competição. A outra torcida é aquela que declara amor ao time apenas em períodos que antecedem eleições municipais ou estaduais com a clara intenção de tirar proveito político da situação. Basta observar que em todos os anos quando ocorrem eleições, ou mesmo nos anos que antecedem o ano eleitoral, vários políticos passam a falar do time da cidade com frequência e dizem que amam, que são apaixonados e tudo mais. O curioso é que a parte da torcida que realmente gosta do time acaba sempre caindo na conversa e vota nos políticos que juram amor ao clube. Passadas as eleições, tudo volta ao normal e o clube continua com os mesmos problemas de sempre. Está na hora de a torcida de verdade acordar e perceber que não pode passar tanto tempo levando bola nas costas. 

HOMENAGENS PÓSTUMAS. Uma discussão longa tomou conta das redes sociais em Cacoal, desde o falecimento do professor Ismael Cury. Um grupo de pessoas defende a ideia de que o nome do professor deve ser colocado no aeroporto da cidade como forma de homenageá-lo, já que o professor Cury teve participação determinante nas discussões que culminaram com a construção do aeroporto de Cacoal. Quanto a este fato, não se discute, a participação dele foi decisiva. Outro grupo de pessoas defende a ideia de que ele seja homenageado de outra forma, já que seu nome seria apenas acrescentado ao nome que já existe. Em enquete realizada em uma rede social, cerca de 64% das pessoas que opinaram entendem que o professor Ismael Cury merece ser homenageado, mas que não deve ser com a mudança de nome do aeroporto. É claro que uma enquete não tem cunho científico e pode não representar o melhor caminho, mas os números são significativos. Que o professor Ismael Cury merece muitas homenagens, não temos dúvida, mas talvez esta polêmica tire o brilho de qualquer homenagem. Lamentável que boa parte dos que participaram da enquete desconhecem a atuação de Cury para a concretização do Aeroporto Capital do Café, que se aprovada, passará a ser Aeroporto Capital do Café – Professor Ismael Cury.

PROTESTO PELA EDUCAÇÃO. No dia de hoje, estão previstas em todos os estados brasileiros manifestações de protesto para mostrar a insatisfação dos estudantes e professores do país, em relação aos cortes de recursos nas universidades e institutos federais. Conforme consta na agenda das entidades ligadas aos professores e estudantes, os protestos devem ocorrer em centenas de cidades, como aconteceu no dia 15 de maio. Em Cacoal, os professores programaram diversas atividades e devem ganhar a adesão de estudantes do Instituto Federal de Rondônia e dos acadêmicos e servidores do Campus da UNIR/Cacoal. Após os últimos fatos acontecidos no Brasil, é muito provável que as manifestações recebam a adesão de diversos outros segmentos da sociedade que queiram protestar sobre o vazamento de informações que colocam em dúvida a isenção da Operação Lava Jato. Se bem que a Lava Jato mostrou a roubalheira e a corrupção que campeou Brasil afora e só foi ruim para os corruptos.

PROMOÇÃO DE APOIO. Será neste sábado, dia 15, mais uma festa “PORCO NO TACHO” em prol da Guarda Mirim, em sua sede, na Rodovia do Café, frente com o morro da Embratel. R$ 25,00 por pessoa para comer até aguentar. Esses eventos visam arrecadar recursos para ajudar na manutenção da instituição. Uma pena ter de fazer esse tipo de evento para sobreviver, principalmente se formos analisar a importância da Guarda Mirim para o município. Sua presença será de grande importância. Vá e leve sua família.

 

O jovem Carlos Henrique Firmino de Souza, estudante da Escola Clodoaldo Nunes de Almeida, nascido em Cacoal, filho da dona Ednalda e do seu José Carlos, flamenguista, também lê Tribuna Popular!O jovem Carlos Henrique Firmino de Souza, estudante da Escola Clodoaldo Nunes de Almeida, nascido em Cacoal, filho da dona Ednalda e do seu José Carlos, flamenguista, também lê Tribuna Popular!



Fonte: Redação
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais de Boca Maldita